ÁSIA/SÍRIA - O Patriarcado sírio-orotoxo desacredita a Hatune Foundation: “não nos representa de nenhuma maneira”

Segunda, 23 Janeiro 2017 jihadistas   islã   minorias religiosas   perseguições  

Patriarcato siro ortodosso

Damasco (Agência Fides) – O Patriarcado sírio-ortodoxo de Antioquia tomou distância da “Hatune Foundation”, a organização parceira da religiosa sírio-ortodoxa Hatune Dogan. A fundação se apresenta como entidade benéfica engajada na ajuda a pobres e carentes em várias partes do mundo, com dedicação especial aos cristãos e outros grupos minoritários alvo de violências e perseguições no Oriente Médio.
Uma nota divulgada sábado, 21 de janeiro, pelo Gabinete patriarcal, declara que a Hatune Foundation “não é afiliada à Igreja sírio-ortodoxa nem representa de nenhuma forma o Patriarcado sírio-ortodoxo”. A organização – sublinha o comunicado recebido pela Agência Fides – atua “de forma totalmente independente, sem reconhecimentos ou consensos da Igreja ortodoxa siríaca e de suas lideranças na Europa e em todo o mudo. Consequentemente, confirmasse que o Patriarcado sírio-ortodoxo não apoia direta ou indiretamente esta organização, nem promove ativamente suas coletas de verbas ou outras atividades”.
A religiosa sírio-ortodoxa Hatune Dogan, principal inspiradora da Fundação que tem seu nome, trabalha atualmente na Alemanha. Em muitas intervistas circuladas na Internet, faz referência a episódios de sua família, forçada a fugir da Turquia no passado. Em muitas declarações, propõe uma total identificação entre o jihadismo sanguinário do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) e o Islamismo ‘tout court’.
“O Islã é ISIS. Quem disser o contrário é um mentiroso”, afirmava Ir. Hatune em entrevista concedida quase um ano atrás a CBNNews, ligada à rede midiática (Christian Broadcasting Network) fundada pelo telepregador dos EUA Pat Robertson. “O Islã e a democracia”, declarava entre outras coisas Ir. Hatune naquela entrevista, “são opostos, como o branco e o presto. E eu espero que os Estados Unidos entendam isso”.
Não é a primeira vez que o Patriarcado sírio-ortodoxo se distancia de organizações que, no Ocidente, justificam suas iniciativas e arrecadação de fundos com a motivação de oferecer apoio aos cristãos perseguidos. (GV) (Agência Fides 23/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network