ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - "Ajudem-nos a socorrer milhares de desalojados na missão Rii-menze”: apelo do Bispo de Tombura-Yambio

Sábado, 21 Janeiro 2017 deslocados   grupos armados   missionários  

Juba (Agência Fides) - “Peço ajuda para 7 das 22 paróquias de minha diocese que foram atingidas pelas violências que estão castigando esta área”, escreve à Agência Fides Dom Barani Eduardo Hiiboro Kussala, Bispo de Tombura-Yambio, no Sudão do Sul, onde o conflito entre o Presidente, Salva Kiir, e o ex Vice Presidente, Riek Machar, desencadeou uma série de conflitos étnicos em várias áreas do país.
Uma delas é a área de Tombura-Yambio onde – como explica Kussala – as violências começaram por volta de 28 de dezembro de 2016, quando os militares do SPLA (Movimento de Libertação do Povo Sudanês, formação guerrilheira de Kiir que depois da independência, em 2011, se tornou o exército regular do Sudão do Sul) foram atacados na estrada para Ibba por jovens armados. Segundo fontes não-oficiais, no atentado os militares do SPLA perderam uma notável soma de dinheiro e pessoal de relevo dentre seus dirigentes, o que tornou os soldados do SPLA extremamente agressivos e enraivecidos. As pessoas dizem que um helicóptero especial foi enviado de Juba para recolher os mortos.
“O que aconteceu depois foi uma verdadeira catástrofe humanitária – afirma Dom Kussala. Os militares do SPLA seguiram aqueles que os haviam atacado perto de Yambio, na estrada de Maridi. Por isso, muitos civis foram envolvidos no conflito a fogo ou voluntariamente mortos pelos militares. Não é possível saber das organizações humanitárias o número exato de mortos e nós mesmos, na diocese, não temos dados seguros porque é muito difícil poder acessar as áreas atingidas”.
“Nossa Diocese, junto com agências humanitárias, coordenadas pela Comissão municipal que se ocupa de ajudas, está registrando os desabrigados em campos de refugiados na Yambio Primary School, onde alguns encontraram acolhimento”, conta o Bispo. A maioria dos desalojados perdeu todas as reservas de alimentos e tiveram suas casas saqueadas ou incendiadas”.
Na estação missionária Rii-menze, Nossa Senhora Assunta, milhares de refugiados foram abrigados no complexo da missão. As mulheres, as crianças e os idosos dormem na igreja e nas salas de aula da escola. Seu número aumenta a cada dia porque quem pode sai do bosque e pede abrigo na missão.
Dom Kussala pede o envio de ajudas para assistir estas pessoas. “Qualquer doação para ajudar a população de Rii-menze será recebida com gratidão. Eu mesmo vivi por dois anos nesta paróquia e conheço pessoalmente muitos deles. É realmente doloroso e sinto uma profunda tristeza no coração em ver tanta violência sendo imposta a inocentes”, conclui o Bispo. (L.M.) (Agência Fides 21/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network