ÁMÉRICA/VENEZUELA - Dom Celli não participará dos encontros para o diálogo, uma ausência que diz muito

Sexta, 20 Janeiro 2017 direitos humanos   política   pobreza  
Núncio Apostólico na Venezuela, Aldo Giordano

Núncio Apostólico na Venezuela, Aldo Giordano

Caracas (Agência Fides) - O secretário executivo da Mesa da Unidade Democrática (MUD), Jesus Alberto Torrealba, anunciou nesta quinta-feira, 19 de janeiro, que o Núncio Apostólico na Venezuela, Aldo Giordano, informou os membros da oposição que Dom Celli não participará da reunião para o diálogo que se realiza no país.
O texto da nota enviada a Fides traz a comunicação do Arcebispo Aldo Giordano Torrealba: “Gostaria de informá-los que Dom Claudio Maria Celli, delegado do Papa para a mesa de diálogo na Venezuela, renunciou à sua visita à Venezuela para os próximos dias. Portanto, não participará das reuniões programadas”. E prossegue: “Eu, Dom Aldo Giordano, Núncio Apostólico na Venezuela, fui nomeado delegado da Santa Sé para tais encontros”.
Nos dias passados, foi difundida pela imprensa a posição do Presidente da Conferência Episcopal da Venezuela (CEV), Dom Diego Padron, sobre o diálogo entre oposição e Governo, que afirma que o diálogo deve continuar, mas mudando completamente a forma e a metodologia porque não tinha fins claros e faltava especialmente a implementação dos acordos.
Também ontem, Torrealba declarou em resposta a Dom Giordano: “Entende-se perfeitamente as razões que levam hoje a Santa Sé a não enviar, nas circunstâncias atuais, o delegado do Papa a Venezuela”. “Na diplomacia - acrescentou Torrealba - a ausência pode ser uma forma de expressar a presença e o silêncio pode se tornar um discurso mais eloquente. Por isso, esperamos que este gesto significativo (...) faça refletir aqueles que no Governo nacional quebraram o mecanismo de diálogo com a sua sistemática falta de aceitação e cumprimento dos acordos”. (CE) (Agência Fides, 20/01/2017)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network