ÁSIA/ÍNDIA - Jesuítas engajados com a harmonia social, uma necessidade dos tempos

Segunda, 16 Janeiro 2017 paz   sociedade civil   ordens religiosas   diálogo   minorias religiosas   direitos humanos   meios de comunicação de massa   evangelização  

Jrssap

Calcutá (Agência Fides) – Superar ignorância e preconceitos e principalmente educar os jovens a promover a paz e a harmonia social. A paz é uma necessidade imperante dos tempos em que vivemos: é o que afirma à Agência Fides o teólogo jesuíta indiano Michael Amaladoss, diretor do Instituto para o diálogo com as culturas e religiões do Loyola College de Chennai e consultor para a missão e a evangelização do Conselho Mundial das Igrejas.
“Devemos construir relações e ajudar as pessoas não só a tolerar, mas a celebrar a diferença como um dom criativo de Deus. Devemos construir uma coalizão multi-religiosa para contrastar todo tipo de fundamentalismo e comunitarismo em todas as religiões. Seria preciso cuidar particularmente da formação dos jovens, para que cresçam adquirindo uma mentalidade que supera os preconceitos e para promover a harmonia social”, explica à Fides o jesuíta.
Segundo Amaladoss, “o uso de novos meios digitais e das redes sociais é necessário para chegar a um número crescente de pessoas e formar redes. Poderemos difundir informações, oferecer programas de formação e também facilitar os encontros usando a Internet”, releva.
Sobre o tema do diálogo, pe. Vincent Sekhar, outro jesuíta, frisa a importância do ministério do diálogo inter-religioso na Índia a partir da atual situação religiosa-política do país, útil para discernir percursos novos: “Para isto, é preciso ser ativos e resistir aos obstáculos aos valores do pluralismo e da Índia laica, cultivando todos os modos possíveis para valorizar amor e amizade, confiança e cooperação. Atualmente, urge construir pontes para reconciliar as diferentes comunidades”, nota.
"A política que utiliza a religião, os desafios do fundamentalismo religioso e as provocações do comunitarismo comprometem gravemente os dois alicerces da democracia e da laicidade da Índia” afirma pe. Sekhar.
“Devemos reconhecer – prossegue – que a essência de todas as religiões é o amor, é o serviço, a paz e a harmonia; reconhecer que toda pessoa humana é morada de um ser Supremo comporta o respeito mútuo. Cremos também que o respeito e a estima pelos ensinamentos das escrituras de todas as religiões conduzam à estima e à aceitação recíprocas, ajudando-nos a conviver pacificamente"
Com este espírito, os jesuítas organizam encontros inter-religiosos de oração e a celebração de festividades religiosas em colaboração com os membros de diversas religiões, favorecendo compreensão e solidariedade e se comprometem em levar reconciliação e harmonia a contextos dominados pela violência. (PA-SD) (16/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network
paz


sociedade civil


ordens religiosas


diálogo


minorias religiosas


direitos humanos


meios de comunicação de massa


evangelização