ÁFRICA/QUÊNIA - Há mais de um mês da greve de médicos e enfermeiros, um novo apelo dos Bispos para salvar vidas humanas

Segunda, 16 Janeiro 2017 saúde   bispos  

Nairóbi (Agência Fides) – Os Bispos do Quênia fizeram um novo apelo aos médicos e enfermeiros para que garantam os serviços básicos aos pacientes em risco de vida e aos que necessitam de cuidados urgentes. O pessoal médico das estruturas públicas está em greve desde 5 de dezembro. O protesto está causando gravíssimos sofrimentos aos doentes e segundo notícias recebidas pela Agência Fides, dezenas de pessoas morreram pela falta de cuidados. Os Bispos já haviam dirigido um premente apelo aos pessoal médico para que fossem assegurados serviços de base para salvar vidas humanas (veja Fides 9/12/2016).
Em uma declaração enviada pela Agência Fides, Dom Philip Anyolo, Bispo de Homabay e Presidente da Kenya Conference of Catholic Bishops (KCCB), expressou a preocupação da Igreja pelos sofrimentos causados pela greve. Dom Anyolo agradeceu o pessoal dos hospitais públicos e particulares que, não obstante tudo, continua a atender às emergências médicas. “Sabemos que continuam cheios de trabalho ao ponto de chegar ao burnout” afirma o comunicado. “Agradecemos também as instituições de saúde particulares não-estatais que continuam atendendo emergências e salvando vidas, apesar das solicitações sobre suas exigências, especialmente quando as pessoas atingidas não podem pagar completamente os custos das terapias”.
Os Bispos fazem um forte apelo a governo, sindicatos e trabalhadores para que “façam suas escolhas e empreendam ações a fim de que o serviço médico regular seja restabelecido sem novos atrasos”.
(L.M.) (Agência Fides 16/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network