ÁFRICA/EGITO - Novas ações e iniciativas para relançar o “Caminho da Sagrada Família”

Quinta, 12 Janeiro 2017 peregrinações   igrejas orientais  

fuocosacro.com

Cairo (Agência Fides) – O relançamento do “Caminho da Sagrada Família”, itinerário para peregrinações a lugares que, segundo tradições locais milenares, foram percorridos pela Sagrada Família durante seu exílio no Egito, continua sendo o centro de iniciativas, propostas e vivos debates que envolvem políticos e agentes de turismo egípcios. Nos dias passados, Al Abdel Aal, Presidente da Câmara dos representantes do Egito, durante uma visita ao escritório do Patriarcado copta reiterou que a valorização do projeto turístico seguindo o percurso percorrido no Egito por José, Maria e o Menino Jesus interessa e envolve todos os egípcios, e não somente os cristãos.
O vice-presidente da Associação guias turísticas no Egito, Moataz Sayed, respondeu as declarações de intenções do Presidente do parlamento egípcio, observando que até agora as promessas expressas pelos políticos em relação à valorização do “caminho” não tiveram êxitos efetivos, não obstante os compromissos assumidos no passado também por ministros e premier, começando por Ibrahim Mahalab, Primeiro- Ministro egípcio de março de 2014 a setembro de 2015.
As primeiras propostas de valorização, também em chave turística, do “Caminho da Sagrada Famílias” datam de vinte anos atrás. Segundo os agentes turísticos egípcios, o Ministério do Turismo é a entidade pública que deveria cuidar do projeto, integrando as infraestruturas e favorecendo a construção de estradas e hotéis para unir num só itinerário todos os lugares onde se conserva a memória da passagem a Sagrada Família no Egito.
No final de 2016, referem fontes locais consultadas pela Agência Fides, uma Comissão para o relançamento do Caminho da Sagrada Família foi criada no Ministério egípcio para o Turismo, sob a presidência de Hisham el Demeiri, ex-chefe da autoridade egípcia para a promoção do turismo, entidade que no Cairo cuidou da restauração recente da igreja da gruta Abu Sarga do século V, construída, segundo a tradição local, no lugar onde a Sagrada Família se descansou antes de iniciar a viagem de retorno à Palestina.
Em setembro passado (veja Fides 23/9/2016), durante a Economic Conference de New Jersey, organizada pela American Coptic Association, 24 membros do Parlamento egípcio, presentes nos trabalhos, garantiram o seu compromisso político e institucional a favor da implementação concreta do “projeto Sagrada Família” e para fazer do Egito uma meta de peregrinação a ser proposta sobretudo aos cristãos do mundo inteiro.
Segundo os promotores da iniciativa, a valorização turística do “Caminho da Sagrada Família” poderia aumentar a cota anual de turistas no Egito de pelo menos um milhão de unidades, com peregrinações concentradas sobretudo no tempo de Natal. Dois anos atrás (veja Fides 21/10/2014) foi individuado o percurso ideal de peregrinação sobre as pegadas da Sagrada Família no Egito, que deveria partir da cidade de Al-Arish, no norte do Sinai, para depois se dirigir rumo ao delta e Wadi Natrun, e alcançar Assiut e o Mosteiro da Virgem Maria, conhecido como Mosteiro de Al-Muharraq. (GV) (Agência Fides 12/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network