ÁFRICA/RD CONGO - Os Bispos relançam o diálogo, mas advertem: “Não estamos disponíveis a conversações infinitas e improdutivas”

Quinta, 22 Dezembro 2016 bispos   política   grupos armados  

Kinshasa (Agência Fides) - “Façam concessões para uma gestão consensual da transição na República Democrática do Congo”. Com este apelo, Dom Marcel Utembi Tapa, Arcebispo de Kisangani e Presidente da Conferência Episcopal Nacional Congolesa (CENCO), tenta reavivar as negociações entre a maioria presidencial e a oposição, a fim de evitar que a crise política da RDC sacuda o país.
Dom Utembi fez o apelo ontem, 21 de dezembro, na retomada dos trabalhos do diálogo inclusivo mediado pela CENCO para encontrar um acordo para a gestão do período de transição entre o fim do mandato do Presidente Joseph Kabila (expirado em 19 de dezembro) e a eleição de um novo Presidente. A data das eleições presidenciais ainda não foi marcada e é um dos pontos em discussão.
Dom Utembi advertiu que a “CENCO não está disposta a prolongar indefinidamente e de modo improdutivo as negociações”.
Entretanto, permanece a tensão no país por causa das manifestações que pedem o abandono do poder de Kabila.
Segundo Human Rights Watch, 34 pessoas foram mortas pela polícia em manifestações em Kinshasa, Lubumbashi, Matadi e Boma. O governo de Kinshasa afirma que as vítimas seriam 22.
Houve outras vítimas em Lisala, noroeste, onde em atritos entre a polícia e milicianos de uma seita milenarista, morreram 14 membros das seitas e 3 policiais. Dentre os mortos, estaria o chefe da seita Wami-Nene, que via no fim do mandato de Kabila o início do fim dos tempos. (L.M.) (Agência Fides 22/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network