ÁFRICA/RD CONGO - Sequestradas duas ativistas humanitárias. Outra está gravemente ferida, no leste do país

Quarta, 21 Dezembro 2016 direitos humanos   violência  

Kinshasa (Agência Fides) – Graves violências contra ativistas da sociedade civil em Kivu do Norte, leste da República Democrática do Congo. As três mulheres pertencem à Coalition des femmes pour la protection des droits humains, um coletivo pelo respeito dos direitos humanos no planalto de Ruzizi, território de Uvira.
Segundo comunicado enviado à Agência Fides, as três ativistas haviam visitado os vilarejos da área para sensibilizar a população sobre a não-violência e o respeito da Constituição, às vésperas do fim do segundo e último mandato do Presidente Josesph Kabila, à meia-noite de 19 de dezembro (veja Fides 20/12/2016). A intenção era sobretudo informar a população que a passagem de poder entre um Presidente e seu sucessor é um direito constitucional garantido a todos os congoleses. Durante seus deslocamentos, as mulheres haviam recebido várias ameaças por telefone.
Na noite de 19 de dezembro, militares das Forças Armadas Congolesas (FARDC) arrombaram as casas das ativistas. Grace Tulinabitu foi gravemente ferida e torturada, e teve muitos objetos pessoais roubados. Já Judith Chekanabo e Armelle Mwamini foram sequestradas e não se têm notícias de nenhuma das duas.
Hoje, 21 de dezembro, o Papa Francisco fez um novo apelo em relação à grave crise na RDC. “Aqueles que têm responsabilidade política ouçam a voz de sua consciência, saibam ver os cruéis sofrimentos de seus compatriotas e levem em consideração o bem comum. Ao assegurar o meu apoio e o meu afeto ao amado povo desse país, convido todos a se deixarem guiar pela luz do Redentor do mundo e rezo para que o Natal do Senhor abra caminhos de esperança”. (L.M.) (Agência Fides 21/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network