ÁSIA/MIANMAR - Jejum e oração para que 2017 seja o Ano da Paz

Sexta, 16 Dezembro 2016 paz   diálogo   direitos humanos   guerras   violência   justiça  

Facebook

Yangon (Agência Fides) - "É tempo de nos unir – todas as religiões, todos os grupos étnicos – para tornar 2017 realmente o Ano da Paz. A paz é possível através da justiça. A paz é possível através da negociação. Pedimos a todas as religiões que observem o dia 1° de janeiro como dia de jejum e oração pela paz" é o apelo enviado a Fides pelo Cardeal Charles Maung Bo, Arcebispo de Yangon.
"Vamos fazer de modo que todos aqueles que lotam os nossos mosteiros, igrejas, templos e mesquitas levem cartazes e bandeiras com a frase ‘Chega de guerras!’. Vamos tentar viver o dia em oração e jejum pela paz, para mudar os corações de todas as pessoas. É preciso acabar com as guerras que ainda hoje existem em Mianmar e fazer de 2017 o ano da paz", nota o texto.
O Cardeal escreve em seu apelo: "Irmãos e irmãs de Myanmar, nós todos diremos ‘feliz ano novo’. Todos os anos nos saudamos com esta mensagem. Mas sinceramente não existe felicidade em muitas partes deste país. A guerra prossegue em muitas áreas. E para mais de 200.000 deslocados em campos de refugiados não será um feliz ano novo. A guerra, iniciada 60 anos atrás, ainda permanece. Camboja resolveu os seus conflitos, o Vietnã resolveu as suas guerras. Esses países vizinhos estão a caminho rumo à paz e à prosperidade. Nós em Mianmar ainda estamos envolvidos numa guerra impossível a ser vencida. A agonia da população e o deslocamento forçado são os únicos resultados da violência. A maioria silenciosa da população de Mianmar foi somente espectadora de uma guerra crônica no país. Agora: unamo-nos, todos juntos, por uma autêntica paz". (PA) (Agência Fides 16/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network