ÁFRICA/BURUNDI - “Apenas pequenos passos rumo à reconciliação”, lamentam os Bispos

Terça, 6 Dezembro 2016 bispos   refugiados  

Bujumbura (Agência Fides) - “Apreciamos e agradecemos aqueles que contribuíram” afirmam os Bispos do Burundi em sua Carta pastoral publicada no encerramento do Ano Santo da Misericórdia. “Na abertura do Ano jubilar nós esperávamos que o Ano fosse para os burundineses uma oportunidade de reconciliação, para que os antagonistas se sentassem, dissessem a verdade em um diálogo franco, que permitisse resolver os problemas do país, de modo que os burundineses pudessem viver na paz e na segurança”, explica a mensagem recebida pela Agência Fides.
“Ainda há muitos irmãos e irmãs que estão refugiados fora do país”, recordam os Bispos. “Não obstante tenham ouvido nosso apelo, não ousam retornar porque não se sentem tranquilizados. Não se pode fazer nada para que se sintam seguros?” ressalta a mensagem.
Os Bispos lamentam que aqueles que permaneceram no país “desconfiam uns dos outros e parece que se espiam reciprocamente, com medo de dizer a verdade à voz alta. Não se confia mais nos vizinhos, justamente quando é a hora de dizer a verdade e acolher a verdade que salva e reconcilia”.
A crise política burundiense remonta a abril de 2015, quando o Presidente Pierre Nkurunziza decidiu se reapresentar para as eleições, concorrendo em um terceiro mandato, em violação da Constituição e dos acordos de paz de Arusha. A reeleição de Nkurunziza, em julho do mesmo ano, agravou a situação com homicídios e desaparecimentos de pessoas ligadas à oposição e ao surgimento de grupos de guerrilha anti Nkurunziza. As violências provocaram até o momento 500 mortos e levaram cerca de 300 mil pessoas a fugir para países vizinhos. (L.M.) (Agência Fides 6/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network