ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Risco de massacre étnico: “em Yei a população vive no terror”, diz o Bispo

Sexta, 2 Dezembro 2016 massacres   guerras   bispos  

Dom Erkolano Ludo Tombe, Bispo di Yei

Juba (Agência Fides) - “Mais de cem mil pessoas vivem no medo e na incerteza e estão impedidas de deixar a cidade” denuncia à Rádio Easter Dom Erkolano Lodu Tombe, Bispo de Yei, cidade da Equatoria, no Sudão do Sul, atingida por uma série de homicídios e massacres atribuídas a grupos armados mistos militares-civis contra presumíveis aliados do ex-Vice Presidente Riek Machar (veja Fides 30/8/2016).
“Em Yei, neste momento, não há tiroteios, mas a população vive no constante medo de novas ondas de violência e homicídios”, refere Dom Lodu. O Bispo acrescentou que a população das aldeias vizinhas não pode ir a Yei, com exceção de quem chega por via aérea de outras regiões e estados. Os camponeses não podem cuidar de suas plantações e a população deve continuar recorrendo à assistência humanitária para saciar-se, até 2017.
A guerra civil entre a facção do Presidente Salva Kiir e a do ex-Vice Presidente Riek Machar assumiu uma dimensão étnica, opondo os Dinka (etnia de Kiir) aos Nuer, etnia de Machar. As outras etnias e tribos se aliaram a um dos dois contendentes na esperança de obter vantagens em seus conflitos locais, frequentemente por razões fundiárias.
O representante estadunidense no Conselho de Direitos Humanos da ONU de Genebra denunciou que o governo sul-sudanês estaria para apoiar ataques de ampla escala contra a população na região de Equatoria central. (L.M.) (Agência Fides 2/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network