ÁSIA/INDONÉSIA - Unidade na diversidade: o povo indonésio nas ruas para o bem comum

Segunda, 21 Novembro 2016 liberdade religiosa   islã político   islã   política   minorias religiosas   paz   sociedade civil  

Jacarta (Agência Fides) - Reiterar o lema da Indonésia, "unidade na diversidade" e a base sólida da nação, ou seja, a Pancasila ("Carta dos cinco princípios"): neste espírito os indonésios de todas as confissões foram às ruas nos últimos dias em Jacarta e Semarang, as duas maiores cidades da ilha indonésia de Java. Vestindo as tradicionais roupas brancas e vermelhas, as cores nacionais da Indonésia, milhares de pessoas marcharam em 19 de novembro nas ruas da capital. O evento que motivou essa iniciativa foi o recente episódio de uma bomba detonada na frente de uma igreja em Samarinda (na Papua indonésia) e também uma tentativa de polarizar a nação, após o fato ocorrido ao governador de Jacarta, o cristão Basuki Tjahaja Purnama, conhecido como "Ahok ", acusado de blasfêmia.
Segundo Fides, a manifestação foi animada por orações inter-religiosas, músicas e performances de arte tradicionais, enquanto todos proclamavam o "Bhinneka Tunggal Ika", lema oficial da Indonésia, que em língua javanês significa "unidade na diversidade". Estavam presentes na manifestação sacerdotes, religiosos e fiéis que Dom Ignatius Suharyo de Jakarta convidou a participar "para apoiar a Pancasila e rezar pela pátria".
O momento culminante foi o silêncio em que todos os manifestantes, de várias religiões, rezaram pessoalmente, invocando a tolerância e a paz sobre a nação. Após a oração, a comissão organizadora composta por várias organizações da sociedade civil, leu uma declaração conjunta, seguida da libertação de cinco pombas como símbolo da paz. "Alguns grupos e movimentos pretendem abertamente substituir a Pancasila, e tem como objetivo destruir o país", afirma o texto, reiterando "a luta contra a violência em nome da religião".
Pe. Simon Petrus Lili Tjahjadi, reitor da faculdade de Filosofia na Universidade Driyarkara em Jacarta, explica à Fides que “a preocupação pelo bem comum da Indonésia é também nossa. Esta é a prova de nosso compromisso em tutelar a identidade profunda da Indonésia, que é pluralista”.
Centenas de milhares de pessoas, lideradas por grupos muçulmanos radicais, organizaram uma manifestação em 4 de novembro passado pedindo ao governo que incriminasse o governador de Jacarta por uma presumível blasfêmia. No dia 16 de novembro, a polícia indagou oficialmente Ahok por blasfêmia, anunciando que será enviado a julgamento. Grupos muçulmanos radicais convocaram uma nova manifestação de massa pedindo à polícia que prendesse o governador.
A intolerância fomentada na sociedade levou os cidadãos indonésios a descer às ruas na Jornada internacional da tolerância, 18 de novembro: uma manifestação pacífica enalteceu o pluralismo e o respeito pela diversidade em Semarang, capital da província de Java Central. Como apurado pela Fides, o cortejo fez um apelo contra toda forma de intolerância e discriminação baseadas em religião, etnia, cor, sexo e opiniões políticas. Em segundo lugar, o texto pede ao Estado para desempenhar um papel ativo finalizado a deter grupos violentos e intolerantes, inclusive nas mídias sociais, para manter a harmonia na nação indonésia.
O líder da comissão para o ecumenismo da diocese de Semarang, pe. Aloysius Budi Purnomo, disse à Fides: “Nós, cristãos indonésios, temos o dever de difundir uma nova consciência para construir a civilização do amor e criar uma sociedade próspera, digna e harmoniosa, que beneficie todos os cidadãos, independentemente de sua religião. Estudantes e jovens são elementos importantes para na força ativa contra a violência e a intolerância. Jovens e estudantes têm o dever de construir e reforçar a harmonia, a paz e a fraternidade neste país. Sem jamais se render”. (PA-PP) (Agência Fides 21/11/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network
liberdade religiosa


islã político


islã


política


minorias religiosas


paz


sociedade civil