ÁSIA/CHINA - Fechadas as Portas Santas na China continental, mas “a porta da misericórdia do nosso coração permanece aberta para sempre”

Sexta, 18 Novembro 2016 ano da misericórdia   igrejas locais  

Faith

Shi Jia Zhuang (Agência Fides) – “A Porta Santa está fechada, mas a misericórdia do Senhor está sempre sobre nós para sempre; o anúncio da misericórdia do Senhor continua; a porta da misericórdia de nosso coração permanece aberta para sempre; a obra de misericórdia continua”: com este espírito, as comunidades católicas da China continental domingo, 13 de novembro fecharam as Portas Santas das diversas dioceses, como indicado pelo Papa Francisco, em comunhão com a Igreja universal. Das imensas terras da Mongólia interna, que fechou 6 Portas Santas, ao sul de He Bei, na costa oriental de Wen Zhou, foram muitas as iniciativas do Ano Santo da Misericórdia, como a Agência Fides apurou da Faith.
O rito de fechamento da Porta Santa foi ocasião em diversos lugares para fazer um balanço do Ano Santo ou para alguns gestos que indicam o empenho em prosseguir no testemunho da misericórdia.
Dom An Shu Xin, Bispo da diocese de Bao Ding, na província de He Bei, presidiu o solene fechamento da Porta Santa, uma das três abertas na diocese, no importante Santuário mariano de Dong Lu, diante de milhares de fiéis. Na homilia, destacou os dons da misericórdia: conversão, perdão e obras de caridade. “Enquanto escancarávamos a Porta Santa, a porta do nosso coração se abriu e permanece para sempre aberta graças ao contínuo nutrimento da misericórdia, do qual o Senhor nos encheu. Ele nos purificou, nos reforçou na fé e nos converteu. Nos tornou missionários da sua misericordia. Levemos, portanto, a mensagem da boa nova a todos os irmãos e as irmãs, porque o fechamento da Porta Santa nos indica um novo horizonte na vida da Igreja”.
Na diocese de Ji Nan, o fechamento da Porta Santa foi acompanhado por um gesto significativo:
a entrega do diploma aos catequistas que concluíram o curso trienal de formação. O Bispo diocesano, Dom Zhang Xian Wang, recordou: “Abrimos cinco Portas Santas, organizamos uma peregrinação, a primeira Jornada diocesana dos jovens, as obras de misericórdia e tantas outras iniciativas. No futuro, que toda nossa palavra, toda nossa ação seja testemunha da misericórdia que recebemos de Deus”.
A diocese de Yi Chang, na província de Hu Bei, durante o fechamento da Porta Santa recordou que este ano recebeu 40 grupos de peregrinos e organizou a peregrinação de grupos de fiéis da diocese na China e no exterior (Terra Santa, Roma, França e Polônia), além de um centena de visitas a doentes idosos, enquanto o grupo de evangelização realizou o seu serviço de acolhimento 24 horas por dia na Porta Santa da Catedral dedicada a S. Francisco.
Os fiéis da diocese de Su Zhou, da província de Jiang Su, têm um motivo especial de felicidade, já que durante sua peregrinação a Roma foram acolhidos pelo Papa na Praça S. Pedro. Para eles, foi uma “extraordinária graça de Deus misericordioso concedida a nós”.
No interior da Mongólia, mais de 30 mil fiéis atravessaram a Porta Santa durante a peregrinação, mais de seis mil fizeram uma peregrinação ao exterior, sobretudo a Roma e à Terra Santa.
Uma série de testemunhos sobre a misericórdia marcou o fechamento da Porta Santa da diocese de Han Zhong, na província de Shaan Xi. Muitos dos que tomaram a palavra confirmaram a própria determinação em ser “missionários da misericórdia” para que “a porta da misericórdia do nosso coração permaneça aberta para sempre”.
A diocese de Xi Chang, da província de Si Chuan, durante o rito de fechamento da Porta Santa também conferiu o mandato missionário aos “missionários da misericórdia”. (NZ) (Agência Fides 2016/11/18)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network