ÁSIA/LÍBANO - Patriarcas e Bispos Católicos: libaneses cada vez mais pobres, serve rapidamente um governo de "reconciliação" nacional

Terça, 15 Novembro 2016 igrejas locais   igrejas orientais   caritas  

Caritas.org

Beirute (Agência Fides) - No Líbano, após a eleição do ex-general Michel Aoun para o cargo de Presidente da República, é necessário criar em um curto espaço de tempo um governo que promova a reconciliação nacional e a rápida elaboração de uma lei eleitoral capaz de garantir a representação política adequada para todas as componentes da sociedade libanesa. "Esta é a opinião compartilhada sobre a situação libanesa expressa pelo Conselho dos Patriarcas e Bispos Católicos do Líbano que ontem, segunda-feira, 14 de novembro, realizou a sua 50ª sessão plenária em Bkerké, na sede Patriarcal Maronita.
Na reunião, participaram entre outros, também o Patriarca greco-melquita Gregoire III, o Patriarca sírio- católico Ignace Youssif III, o Patriarca armênio-católico Krikor Bedros XX e o arcebispo Gabriele Caccia, Núncio Apostólico no Líbano.
Em seu discurso, o Patriarca Maronita Bechara Boutros Rai pediu a todos os chefes das Igrejas presentes para apoiar as organizações da igreja em seus projetos de desenvolvimento e atender às necessidades financeiras de escolas, hospitais, orfanatos e asilos administrados por várias comunidades católicas. A situação libanesa - disse o Primaz da Igreja maronita - é marcado pelo empobrecimento geral de grandes segmentos da população libanesa, e todas as realidades eclesiais são obrigados a aumentar os seus esforços no apoio daqueles que estão em um estado de necessidade.
Até mesmo o Arcebispo Gabriele Caccia se pronunciou para felicitar a recente eleição do ex-general Michel Aoun à presidência da República, e em relação à emergência dos refugiados sírios, lembrou que há um ano, o Papa Francisco convidou todas as paróquias e conventos a abrem suas portas ao acolhimento de refugiados que fogem de conflitos e situações de violência. Os Patriarcas e Bispos reunidos em Bkerké também abordaram a questão da aplicação das diretivas do Vaticano sobre o abuso sexual de crianças e a adoção de regras relativas ao uso de recursos administrados pela Caritas Líbano.
(GV) (Agência Fides 15/11/2016


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network