ÁSIA/SÍRIA - Denúncia dos cristãos: Partido curdo impõe um censo para manipular os equilíbrios demográficos na região síria de Hassakè

Sexta, 11 Novembro 2016 igrejas orientais   minorias religiosas   política internacional   sectarismos   minorias étnicas  

ankawa.com

Qamishli (Agência Fides) – Os aparatos e os funcionários do Partido curdo da União democrática (PYD), e de sua ala militar YPG (Unidade de proteção popular), radicados nas regiões norte-orientais da Síria, de maioria curda, estão realizando um censo sobre a população na região da província síria de Hassakè, com a intenção de utilizar também esses dados dentro de sua estratégia para modificar a próprio favor os equilíbrios demográficos entre os diferentes membros étnicos e religiosos da região.
A denúncia foi feita por organizações empenhadas na defesa dos direitos das minorias locais, começando por Assyrian Monitor for Human Rights. Os testemunhos enviados à Agência Fides referem que o censo, iniciado na semana passada, provocou reações de protesto por parte da população local e, em algumas situações, como na cidade de Qamishli, a administração local guiada pelos curdos impôs até mesmo o toque de recolher em algumas horas do dia para proceder à coleta dos dados demográficos casa por casa.
As preocupações pela escolha de realizar um censo que parece sem qualquer legitimidade legal, realizado fora dos padrões internacionais relativos a este tipo de prática administrativa, são expressas sobretudo por expoentes das comunidades cristãs – em especial sírios, assírios e caldeus – e muçulmanas, que destacam entre outras coisas que os equilíbrios demográficos da região foram radicalmente alterados pelas fugas em massa e pelas transferências de refugiados provocados por cinco anos de conflito sírio.
As forças político-militar curdas – referem as fontes locais – se comportam como lideranças de uma entidade político-estatal independente, desconhecendo de fato a pertença da região de Hassakè ao Estado sírio. Segundo as mesmas fontes, também a maioria da população curda não se reconhece na linha política do Partido, empenhada em forçar os dados da composição demográfica da região para realizar as próprias instâncias separatistas. (GV) (Agência Fides 11/11/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network