ÁSIA/INDONÉSIA - Combate à corrupção: o ministro católico do governo indonésio se pronuncia na assembleia dos Bispos

Sexta, 4 Novembro 2016 corrupção   política   sociedade civil   bispos   minorias religiosas  

Jacarta (Agência Fides) – Com o fulcro na corrupção como mal social e moral que aflige a nação e as comunidades religiosas e cujo peso na consciência humana os bispos contribuem a contrastar, está em andamento no norte de Jacarta a Assembleia dos Bispos indonésios. Estão presentes no encontro de 11 dias, iniciado em 31 de outubro com a participação de 36 Bispos, o Cardeal Julius Darmaatmadja, o Núncio apostólico Guido Filipazzi, e personalidades como o diretor do Ministério de assuntos religiosos, Eusabius Binsasi, e representantes da Comunhão das Igrejas cristãs na Indonésia.
Como apurado pela Fides, visto que o tema acarreta implicações na vida política e social, os Bispos convidaram a intervir na assembleia anual de 2016 – iniciada com a execução do hino nacional – o único ministro católico presente no governo indonésio liderado pelo Presidente Joko Widodo: Ignazio Jonan, atualmente Ministro da Energia e Recursos Minerais, ex-Diretor da empresa ferroviária nacional e ex-Ministro dos Transportes. Ao ministro Jonan foram confiados ministérios-chave frequentemente vulneráveis à corrupção, como transportes e energia. A escolha de Jonan é explicada precisamente “por sua integridade moral, rigorosa dedicação, disciplina, honestidade e transparência. Widodo precisava de um homem crível, com uma visão clara, capaz de superar a corrupção nos meandros da burocracia”, disse à Fides pe. Benny Susetyo, atualmente Secretário nacional do prestigioso “Setara Institute for Democracy and Peace”.
Os Bispos ouviram também outro católico, Alexander Marwata, um dos cinco líderes da Comissão para a erradicação da corrupção. “A corrupção deriva da avidez. A avidez é dominante" disse. Foram chamados a testemunhar também membros da Ong Indonesia Corruption Watch (ICW) e do fórum "EHEM", iniciativa anticorrupção promovida pelos Jesuítas nas Filipinas.
Os Bispos devem se confrontar sobre os temas propostos refletindo sobre o tema da corrupção na sociedade indonésia e também na Igreja. Depois, elaborarão as conclusões da assembleia, que deve se encerrar em 10 de novembro, em um documento final. (PCP- PA) (Agência Fides 4/11/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network