ÁSIA/PAQUISTÃO - Caso de presumível blasfêmia resolvido graças a lideranças políticas e religiosas

Quinta, 27 Outubro 2016 blasfêmia   islã   minorias religiosas   violência  

p.a.

Quetta (Agência Fides) – Os líderes religiosos cristãos e islâmicos tiveram um papel decisivo na resolução de um caso de suspeita blasfêmia de dois cristãos em Quetta, na província paquistanesa de Beluchistan. Como comunica à Fides pe. Renald Remindran, missionário dos Oblatos de Maria Imaculada em Quetta, um jovem cristão de nove anos, chamado Izhan, e sua mãe Shakeela Kauser, enfermeira no Hospital Civil de Quetta e mãe de três filhos, haviam sido detidos e interrogados com a acusação de blasfêmia: eram acusados de queimar algumas páginas do Alcorão no dia 20 de outubro.
Depois da ocorrência, a polícia os deteve. Líderes cristãos envolveram os chefes da organização Jamiat Ulema-e-Islam (Jui), que tiveram importância fundamental na libertação dos dois. A questão foi resolvida no dia 21 de outubro e as acusações de blasfêmia foram declaradas nulas.
“Estamos felizes com esta conclusão; é significativa. Na província de Beluchistan, ninguém foi acusado ou condenado por blasfêmia até o momento”, informa pe. Remindran à Fides. Em nota enviada à Fides, Anjum James Paul, Presidente da Pakistan Minorities Teachers’ Association, enalteceu o papel das lideranças políticas e religiosas, muçulmanas e cristãs, para apurar a verdade e evitar qualquer conflito entre as duas comunidades. (PA) (Agência Fides 27/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network