ÁSIA/PAQUISTÃO - Demite-se do Supremo Tribunal o magistrado que não quis julgar Asia Bibi

Quarta, 26 Outubro 2016 asia bibi   blasfêmia   islã   perseguições   minorias religiosas  

Islamabad (Agência Fides) – O juiz do Supremo Tribunal do Paquistão Iqbal Hameedur Rehman, que em 13 de outubro passado, se retirou repentinamente do colégio que deveria examinar o caso de Asia Bibi, causando o adiamento da audiência, demitiu-se oficialmente do Supremo Tribunal. Como apurado pela Fides, o juiz escreveu uma carta a Mamnoon Hussain, Presidente do Paquistão, sem indicar os motivos específicos do pedido de demissão. Iqbal Hameedur Rehman havia sido nomeado como membro do colégio de três juízes para o colégio de três juízes para escutar o recurso final de Asia Bibi, a cristã condenada à morte por blasfêmia na primeira instância e no apelo.
O magistrado justificou sua renúncia afirmando que foi um membro do colégio que julgou o caso de Salman Taseer, ex-governador de Punjab, assassinado por seu guarda-costas por ter defendido Asia Bibi.
Quando um juiz se demite, o Presidente do Supremo Tribunal deve nomear outro magistrado, mas não há certezas sobre os tempos da escolha. “Continuamos confiantes e esperamos que o Presidente confie o caso de Asia Bibi a um colégio que julgue novamente”, comenta à Fides Joseph Nadeem, tutor da família de Asia Bibi e presente na audiência de 13 de outubro.
“O que nos surpreendeu foi a pouca tempestividade: o juiz Rehman deveria ter-se retirado nos dias precedentes, a fim de que o caso fosse entregue diretamente a outro colégio” frisou. Com a sua decisão inesperada, o juiz foi obrigado a adiar.
Nos dias passados, grupos radicais organizaram manifestações em Karachi, Islamabad e Lahore pedindo a execução capital para Asia Bibi e ameaçando as instituições paquistanesas de desencadear uma guerra” se Asia Bibi for libertada. (PA) (Agência Fides 26/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network