ÁSIA/LÍBANO - Possível apoio dos sunitas de “Futuro” para a candidatura presidencial de Aoun. Cauteloso otimismo do Patriarca Maronita

Quarta, 19 Outubro 2016 política   política internacional   eleições   sectarismos  

Beirute (Agência Fides) – Na cena política libanesa, paralisada por uma crise política e institucional que há mais de dois anos impede a eleição de um novo Chefe de Estado, irrompe a novidade de uma possível confluência da corrente política sunita “Futuro”, guiada por Saad Hariri, ao grupo de forças políticas dispostas a sustentar a candidatura presidencial do general maronita Michel Aoun, líder do “Movimento Patriótico Livre”, aliado ao Partido xiita de Hezbollah e posicionado na frente política oposta a da corrente “Futuro”.
O sunita Hariri e o maronita Aoun – ressaltam os jornais libaneses – tiveram um encontro reservado duas semanas atrás. As indiscrições sobre uma aliança possível entre os dois, que abriria ao maronita Aoun o caminho para a presidência, suscitou a reação negativa do Presidente da Câmara Nabih Berri, líder do movimento xiita Amal, que vê no possível acordo o encaminhar-se de um eixo sunita-maronita destinado a marginalizar as forças políticas e sociais xiitas, reconhecidas como uma parte essencial do delicado equilíbrio político libanês dos acordos de Taif de 1989.
Expressões de otimismo cauteloso sobre novos possíveis desenvolvimentos foram expressas pelo Patriarca maronita Bechara Rai: ”Esperamos, como sempre fizemos”, reiterou o Primaz da Igreja maronita, respondendo às perguntas dos jornalistas libaneses, “que todas as tentativas se concretizem e façamos o bem ao Líbano e aos libaneses. Eu ainda não tive a ocasião de encontrar Saad Hariri, mas esperamos que os contatos sejam feitos, porque depois de dois anos de presidência vacante, é hora que o Líbano tenha um presidente”. (GV) (Agência Fides 19/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network