AMÉRICA/EQUADOR - Seis meses depois do terremoto, muitas crianças ainda necessitam de ajuda para superar o medo

Quarta, 19 Outubro 2016 catástrofes naturais  

Internet

Portoviejo (Agência Fides) - Seis meses depois do terremoto que devastou o país, conseguir satisfazer as necessidades das crianças que ainda vivem em refúgios informais e nas zonas rurais continua sendo um desafio muito importante. Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância, mais de 8.800 pessoas vivem em refúgios temporários, sem condições de higiene e de saúde adequadas. Além disso, os serviços locais que se ocupam da proteção especial devem ser reforçados, e muitas crianças ainda precisam de ajuda para superar o medo que lhes impede de frequentar a escola depois do terremoto. O governo restabeleceu o sistema educacional e reduziu o número de pessoas que vivem em refúgios oficiais de 33 mil a 7 mil, sobretudo graças às concessões e a casas de abrigo. Com a contribuição de milhares de doadores de todo o mundo, o UNICEF conseguiu arrecadar micronutrientes e vitamina A para 250 mil crianças e 26.800 mulheres grávidas. Além disso, 30 mil tratamentos com Zinco foram ministrados para curar casos de diarreia aguda, 40 mil pessoas passaram a receber água potável e material pedagógico para a prevenção de doenças como zika foi introduzido na programação das escolas atingidas pelo vírus. A agência das Nações Unidas distribuiu material educacional a mais de 34 mil crianças e ofereceu acolhimento temporário a mais de 13 mil.
(AP) (19/10/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network