ÁFRICA/MALAUÍ - O Presidente voltou dos Estados Unidos, mas permanecem dúvidas sobre suas condições de saúde

Terça, 18 Outubro 2016 política  

Lilongwe (Agência Fides) - “Depois de tantas promessas não cumpridas sobre a volta do Presidente, no domingo 16 de outubro o regresso aconteceu”, escreve à Agência Fides pe. Piergiorgio Gamba do Malauí, que finalmente conta a presença do Presidente Arthur Peter Mutharika, que desde o final de setembro não aparecia mais em público desde que foi a Nova Iorque para participar da Assembleia Geral da ONU (veja Fides 14/10/2016). “No aeroporto internacional de Lilongwe se reuniu uma multidão de fiéis do partido Democratic Progressive Party – DPP”, conta o missionário. “O exército posicionou o piquete de honra para que o Presidente passasse”.
“Primeiro chegou um jet da Air Force americana com alguns passageiros que foram escoltados até o palácio presidencial – talvez da equipe médica -. Depois um avião alugado da Qatar Airlines que trazia o Presidente. Passou mais de meia-hora até que ele aparecesse na porta da aeronave e, como de costume, saudasse a multidão com as mãos levantadas. Tudo estava em ordem. Tudo como manda o protocolo. A única diferença era o braço esquerdo levantado. O Presidente não conseguia mover o braço direito”.
As preocupações sobre as condições de saúde do Presidente de 76 anos não se aplacaram, pelo contrário, como escreve o pe. Gamba, “se não pode dar prova de um restabelecimento imediato, faz aumentar a convicção de ser uma marionete nas mãos de um partido de gente corrupta e incapaz”.
E isso é dramático num país onde a energia elétrica falta inclusive por 20 horas por dia. “É o país que assiste ao fechamento de suas pequenas fábricas, à desvalorização superior a 25% e à fome que esmaga a população. Agora que ‘o Elefante está ferido e não consegue guiar a manada’ é uma obrigação mudar direção”, conclui o missionário. (L.M.) (Agência Fides 18/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network