ÁFRICA/EGITO - Documento das Igrejas anglicanas do “Global South”: não aos matrimônios e bênçãos de casais gay

Quinta, 13 Outubro 2016 matrimônio  

globalsouthanglican.org

Cairo (Agência Fides) – O relacionamento sexual entre duas pessoas do mesmo sexo “é contrário ao desígnio de Deus, é ofensivo a Ele e reflete uma desordem em relação às intenções de Deus relativas à complementaridade nas relações sexuais”. A Igreja “não pode tolerar uniões homossexuais como uma forma de comportamento aceitável a Deus”. Por isso, “toda disposição pastoral tomada por uma Igreja sobre casais homossexuais (como uma liturgia ou um serviço religioso para abençoar sua união sexual) que elimina a necessidade de arrependimento e um compromisso a perseguir uma mudança de comportamento, possibilitado pela força do Espírito, estaria em contraste com a tradicional doutrina ortodoxa da Comunhão anglicana relativa ao matrimônio e à sexualidade. Disposições pastorais do gênero, enquanto podem dar a impressão superficial de fornecer à Igreja uma imagem mais humana e socialmente aceitável, escondem, na realidade, a violação da doutrina de referência”. Assim se expressam os 12 Primazes e os 90 delegados de 20 Províncias anglicanas ligadas ao Global South Anglican em um documento em 11 quesitos sobre uniões homossexuais, subscrito e publicado por ocasião da sexta “Global South Conference”, realizada no Cairo, de 3 a 8 outubro.
Ao reiterar o seu firme ‘não’ à celebração litúrgica de casamentos homossexuais, os representantes das Igrejas anglicanas do “Global South” reafirmam seu pleno compromisso com cuidados pastorais que saibam acolher e acompanhar as pessoas homossexuais, aceitando-as “assim como são, assim como Deus nos aceitou como éramos. Nós nos opomos”, reza o documento recebido pela Agência Fides, “à ofensa ou à humilhação daqueles que não seguem os caminhos de Deus. Afirmamos que toda pessoa é amada por Deus, assim que nós também devemos amar, como Deus ama. O nosso dever é ajuda-los a voltar aos passos de Deus, convidando-os a receber o amor transformador de Cristo, que lhes dá o poder de arrepender-se e caminhar em uma novidade de vida”. O documento menciona ainda que na decisão de abordar a questão das uniões homossexuais não existe alguma intenção de minimizar o pecado de outros comportamentos “contrários ao caminho querido por Deus para o gênero humano”, como o egoísmo, a malícia, os ciúmes, o ódio e o homicídio.
Durante o encontro, os máximos representantes das províncias anglicanas presentes no Cairo foram recebidos também pelo Presidente egípcio, Abdel Fattah al Sisi, que durante o encontro, exaltou o papel dos líderes religiosos na construção da paz. O anfitrião foi o Arcebispo Mouneer Hanna Anis, Bispo do Egito e do Norte da África e Primaz da Igreja anglicana de Jerusalém e do Oriente Médio, que em seu pronunciamento, polemizou com as ‘Igrejas do Norte’ que querem impor às Igrejas do Sul uma ‘nova forma de escravidão ideológica e financeira’.
O pronunciamento dos Primazes e dos representantes anglicanos reunidos no Cairo – informam fontes locais consultadas pela Agência Fides – foi recebido com satisfação por outras Igrejas e comunidades eclesiais presentes no Egito.
O Global South Anglican é um organismo de coordenação a que fazem referência 24 das 38 províncias da Comunhão Anglicana, deslocadas no hemisfério sul e que compreendem todas as províncias anglicanas da África, a grande maioria das sul-americanas e a maior parte das asiáticas. (GV) (Agência Fides 13/10/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network