OCEANIA/AUSTRÁLIA - “Chegou a hora de trazê-los aqui”: apelo dos Bispos em prol dos imigrantes nos campos de detenção

Quinta, 13 Outubro 2016 migrantes   direitos humanos   sociedade civil   obras sociais   solidariedade  

Sidney (Agência Fides) – “Uma das maiores crises do nosso tempo é a condição das pessoas que fugiram de seus países por causa da guerra, das perseguições ou da pobreza e são obrigadas a viver sem uma casa, sem a segurança e, com frequência, separadas de suas famílias. Na Austrália, suportamos a vergonha da expulsão e do duro tratamento reservado a pessoas que buscavam a nossa proteção e, hoje, estão presas nos campos de detenção nas ilhas de Nauru e Manus Island, ao largo de Papua Nova Guiné. Chegou a hora de trazê-los aqui”: é o forte apelo feito pelo Arcebispo Denis Hart, Presidente da Conferência Episcopal Australiana.
Numa nota enviada a Fides, o Arcebispo, em nome do episcopado australiano, afirma: “As agências internacionais estão impressionadas com as condições em que vivem os imigrantes naquelas estruturas e com os efeitos daquela detenção sobre sua saúde, seu espírito e o respeito de si. Alguns detentos escreveram inclusive ao Papa Francisco, que expressou sua profunda preocupação. Os Bispos católicos australianos deploram a detenção dos nossos irmãos e irmãs em Nauru e Manus Island. Mesmo reconhecendo o esforço do governo para encontrar uma solução, digamos que quando é demais, é demais. Pedimos ao governo que transfira os detentos para a Austrália, à espera de decisões sobre seu futuro”.
Os Bispos, nota o Presidente, “apoiam com força a campanha para trazê-los aqui, na Austrália. Nós nos empenhamos em garantir a ajuda das nossas comunidades e de instituições católicas para acolher e amparar esses refugiados quando chegarem, colocando à disposição todos os amplos recursos dos serviços sociais católicos”. A entidade “Aliança católica para os requerentes de asilo” está pronta a coordenar, com outras organizações estatais e da sociedade civil, um plano de emergência para o acolhimento em território australiano de homens, mulheres e crianças atualmente residentes em Nauru e Manus Island. “Enquanto o Jubileu da Misericórdia está para se concluir, é o momento de cultivar as obras de misericórdia e colher os frutos”, assim se conclui a mensagem dos Bispos. (PA) (Agência Fides 13/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network