ÁSIA/FILIPINAS - Reintroduzir a pena de morte é uma falsa solução ao crime

Terça, 11 Outubro 2016 pena de morte   justiça   política   leigos   criminalidade  

rappler

Manilha (Agência Fides) – “A pena de morte não resolve o problema da criminalidade; é uma falsa esperança”: é o que afirma, em nota enviada à Fides, a Comissão para a pastoral carcerária da Conferência Episcopal das Filipinas, exortando o presidente Rodrigo Duterte e os partidos políticos a abandonar o projeto de legalizar a pena de morte no país.
Rodolfo Diamante, leigo católico e secretário executivo da Comissão, frisou que “a pena capital não é um impedimento eficaz do crime e “reintroduzi-la seria uma afronta à dignidade humana”.
“Apelamos ao Presidente e aos nossos legisladores para que não recorram a uma ‘solução rápida’ do problema da criminalidade, que não deem ao povo a falsa esperança que uma solução existe e que é a pena de morte”, disse, no Dia Mundial contra a pena de morte, celebrado ontem, 10 de outubro.
A Igreja reitera o firme compromisso contra as execuções capitais e sensibiliza as consciências para melhorar as políticas de combate ao crime. “A morte nunca é a resposta. Como a pena de morte não é resposta para o crimine violento, o aborto não é a resposta para as gestações não planejadas”, sublinhou Diamante, relevando também que “os assassinatos de traficantes de drogas, que estão acontecendo no país, são uma farsa para a eficiência na luta à criminalidade”.
Mesmo esforçando-se para combater a corrupção, as drogas e a criminalidade, os cristãos “são chamados a defender e proclamar a inviolabilidade da pessoa humana, que é imagem de Deus”, disse ainda Diamante, recordando que "a vida humana é intrinsecamente preciosa e até quem comete crimes também é depositário de uma dignidade humana inalienável”. (PA) (Agência Fides 11/10/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network