ÁSIA/JORDÂNIA - A Jordânia é o país com mais refugiados. Caritas Jordaniana: situação insustentável e perigosa

Quarta, 5 Outubro 2016 refugiados   caritas  

Campo profughi Zaatari (Wikipedia)

Amã (Agência Fides) - A Jordânia abriga no momento dois milhões e 700 mil refugiados: uma multidão que coloca o Reino Hashemita em primeiro lugar na lista das nações com o maior número de deslocados e refugiados, seguido por Turquia (2,5 milhões), Paquistão (1,6 mi) e Líbano (1,5 mi). Segundo os dados fornecidos por Amnesty International, a metade de toda a massa global de refugiados em todo o mundo está sediada somente em 10 dos 193 países que compõem a toda a lista das nações.
“Esses dados”, comenta à Agência Fides Wael Suleiman, Diretor-Geral da Caritas Jordaniana, “são até mesmo subestimados em relação à realidade, e impressionam também porque documentam que as nações mais ricas e avançadas abrigam um número exíguo de refugiados, não obstante agora nesses países muitos governos sejam guiados, ou em todo caso condicionados, por forças que ganham poder justamente explorando e fomentando o medo e a rejeição dos imigrantes. A Jordânia é aberta a todos, estamos conscientes de desempenhar uma missão humanitária importante e queremos continuar. Nos últimos tempos, foram regularizados como trabalhadores legais 200 mil refugiados sírios. Mas refugiados e imigrantes representam 40% da população. A dívida nacional cresceu nos últimos anos de maneira exponencial. Muitos jordanianos estão agora mais pobres do que muitos imigrantes. Se a comunidade internacional não tomar ato da situação explosiva e não intervir para amparar este esforço realizado por todo o país, chegará um momento em que também aqui serão fechadas as portas e se pensará em repatriar quem fugiu da fome e das guerras”. (GV) (Agência Fides 5/10/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network