ÁSIA/INDONÉSIA - Os Camilianos abrem o primeiro noviciado na ilha de Flores

Sexta, 30 Setembro 2016 evangelização  

Gabriel ^(oo)^

Maumere (Agência Fides) – “O dia 14 de julho de 2016 marcou um momento histórico para a Missão Camiliana Indonésia: a abertura oficial do noviciado em Maumere, ilha de Flores, com os primeiros dois noviços.” É o que conta à Agência Fides padre Luigi Galvani, MI, missionário na ilha há muitos anos. “A presença dos religiosos camilianos em Maumere, ilha de Flores, completou sete anos. O lema adotado pelo primeiro grupo de pioneiros foram as palavras evangélicas: ‘Tudo é possível para quem crê’. Daqui deriva a força, a coragem e a determinação para superar várias dificuldades, seja de ordem jurídica, logística e, sobretudo, econômica”, disse o missionário.
“Os objetivos principais da nova delegação foram a promoção vocacional e a formação de jovens à vida religiosa e missionária. Assim que chegaram à Indonésia, uma modesta casa alugada na periferia da cidade de Maumere foi a primeira morada. Passados somente dois anos, graças à solidariedade de generosos benfeitores, nasceu o St. Camillus Formation Center, estrutura capaz de abrigar cerca de 50 jovens. O novo Centro fica nas proximidades da Escola Filosófica e Teológica dos Missionários Verbitas, que acolhe cerca de mil estudantes”.
A ilha das Flores, é a mais católica das 17 mil ilhas da Indonésia e é um terreno fértil para as vocações. Assim, os camilianos, após a abertura do centro de formação de Maumere, abriram recentemente um segundo em Ruteng, pequena cidade no norte daquela ilha, para acolher outros jovens e prepará-los com um programa específico para as outras etapas da formação: Filosofia, noviciado e Teologia (veja Fides 24/2/2016). Atualmente, a Delegação Indonésia é composta por cinco sacerdotes (4 indonésios e italiano), um professo temporário, dois noviços, quatro pré-noviços, trinta estudantes de Filosofia e cerca de vinte jovens no curso de orientação. Os camilianos também estão envolvidos em atividades pastorais e sociais, tais como: capelania do hospital da cidade, a direção do programa sobre a malária na Diocese de Maumere, a visita semanal aos doentes e deficientes nas paróquias, e a gestão do centro nutricional para centenas de crianças carentes".
“A delegação, agora, olha para o seu futuro com outros pequenos sonhos”, continua Pe. Galvani. "Dentre estes, já está em fase de construção um centro social e de formação para os jovens da periferia de Maumere, que poderá hospedar uma centena de estudantes das áreas remotas da ilha. O centro terá também um ambulatório e oferecerá aos estudantes cursos de informática, língua inglesa e formação”, conclui Padre Luigi. (LG/AP) (30/9/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network