ÁSIA/LÍBANO - Patriarca maronita: refugiados palestinos têm o ‘direito natural’ de retornar à sua pátria

Quinta, 29 Setembro 2016 política internacional  

bkerke.org.lb

Bkerkè (Agência Fides) – O reconhecimento internacional do Estado da Palestina é improrrogável, se se quer favorecer o restabelecimento da paz no Oriente Médio. E é preciso também apoiar e garantir o retorno à própria pátria de todos os refugiados palestinos ainda dispersos no Oriente Médio, o que representa um “direito natural” para eles. Assim, o Patriarca maronita Boutros Bechara Rai definiu a prerrogativa reivindicada pelos palestinos descendentes de populações árabes que fugiram da Palestina após o nascimento do Estado de Israel.
A declaração foi feita na sede patriarcal de Bkerkè, em 26 de setembro, recebendo uma representação do Comitê presidencial para Assuntos da Igreja na Palestina, liderado por Hanna Amira - membro do Comitê executivo da OLP - e que compreende, dentre outros, também o Conselheiro presidencial Ramzi Khoury, o embaixador Issa Kassissieh – Representante do Estado da Palestina junto à Santa Sé – e a professora Vera Baboun, prefeita de Belém.
O Primaz da Igreja maronita reiterou que na questão palestina, continua a existir uma “grave violação da verdade e da justiça” e que a falta de reconhecimento da opressão sofrida pelo povo palestino continua representando um fator objetivo na persistência de focos de guerra na região, fragilizando todas as tentativas de estabelecer uma paz autêntica e duradoura no Oriente Médio. (GV) (Agência Fides 29/9/2016).



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network