AMÉRICA/PERU - Na Amazônia, nove meninas a cada dez não concluem os estudos

Terça, 27 Setembro 2016 desenvolvimento  

Daniel Lombraña González

Lima (Agência Fides) – Na Amazônia, nove meninas a cada dez não concluem os estudos, mesmo destino para sete meninas de língua quechua a cada dez. A pobreza e a falta de instrução estão causando graves problemas ao desenvolvimento de milhares de jovens nas regiões mais precárias do país. O alerta foi lançado pela organização humanitária Care Perú, que se dedica à erradicação da pobreza, segundo a qual a falta de instrução aumenta também os índices de violência contra as mulheres. “Essas meninas são condenadas a não ter um futuro, a permanecer em casa sem instrução, submetidas à violência”, se lê no comunicado enviado a Fides. “Entre as mulheres privadas de instrução, cerca de 65% aceita a violência. Enquanto entre as instruídas, somente 5%”.
A ausência e o abandono escolar nas regiões de Huancavelica ou Loreto devem-se a vários fatores. A pobreza extrema é um deles. As famílias preferem mandar para a escola os filhos de sexo masculino do que as meninas. Também a distância constitui um problema. Às vezes, de fato, nas zonas rurais não há escolas. Além disso, as mães que não receberam uma instrução escolar nem sempre entendem a importância que esta poderia ter para suas filhas. Deste modo, se gera um círculo de pobreza que se estende de geração em geração.
Entre as jovens mulheres sem instrução, a taxa de maternidade na adolescência é quatro vez superior em relação às jovens da mesma idade que frequentam a escola. Atualmente, Care Perú está elaborando um programa-piloto para facilitar as meninas necessitadas e oferecer a elas um suporte contínuo para evitar que abandonem os estudos. Na primeira fase, é previsto o acompanhamento de 4.500 meninas, a seguir outras 95 mil serão envolvidas. Segundo a organização, no país existem pelo menos 700 mil meninas e adolescentes pobres e sem qualquer possibilidade de desenvolvimento.
O Instituto Nacional de Estatística (INEI) certifica que 21,8% dos peruanos vive na pobreza. Nas áreas rurais, 45,2% é pobre em relação a 14,5% das zonas urbanas. Todavia, nos últimos cinco anos dois milhões e 285 mil pessoas superaram a condição de pobreza.
(AP) (27/9/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network