ÁFRICA/BURUNDI - ONU: “Graves violações dos direitos humanos, risco de genocídio é grande”

Quarta, 21 Setembro 2016 onu   justiça   direitos humanos   execuções extra-judiciais  

Bujumbura (Agência Fides) - São 564 as execuções extrajudiciais registradas no Burundi de 26 de abril de 2015 até final de agosto de 2016, documentadas pela ONU. É o que afirma o relatório das missões de investigação das Nações Unidas encarregadas de verificar as violações dos direitos humanos no país africano.
“Os especialistas constataram graves violações dos direitos humanos que foram e ainda são cometidas principalmente por parte de agentes do Estado e por aqueles que estão ligados a estas pessoas”, afirma o relatório, com uma clara referência às milícias filo-governamentais. O relatório não exclui que as graves violações dos direitos humanos possam constituir crimes contra a humanidade, e pede que sejam abertos procedimentos judiciários internacionais para levar os autores diante da Justiça. “As graves violações são sistemáticas, a impunidade é onipresente e o perigo do crime de genocídio é alto”, denuncia o relatório enviado a Fides.
O governo de Bujumbura qualificou o relatório da ONU de "tendencioso e politicamente orientado". A crise política em Burundi eclodiu após o anúncio, em abril de 2015, do Presidente Pierre Nkurunziza de se candidatar nas eleições para um terceiro mandato, violando a Constituição e os Acordos de Paz de Arusha que preveem apenas dois mandatos presidenciais. Depois da eleição de Nkurunziza, em julho de 2015, a violência e a repressão pioraram, obrigando mais de 300 mil burundeses a procurar refúgio nos países vizinhos. (L.M.) (Agência Fides 21/9/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network