ÁFRICA/RD CONGO - Os Bispos: “Suspendemos nossa participação do diálogo nacional; não a um terceiro mandato de Kabila”

Quarta, 21 Setembro 2016 violência   bispos  

Kinshasa (Agência Fides) – Os Bispos congoleses suspenderam sua participação do diálogo nacional devido aos confrontos que há dois dias se verificam em Kinshasa (veja Fides 19 e 20/9/2016) e condicionam seu regresso à mesa de negociação à exclusão do atual presidente, Joseph Kabila, das próximas eleições, “que deverão ser organizadas o mais rápido possível”.
“O sangue dos nossos irmãos e irmãs inocentes derramado pelo respeito da Constituição nos interpela. Constitui para nós um sinal dos tempos”, afirma um comunicado da Conferência Episcopal Nacional do Congo (CENCO) recebido pela Agência Fides. “Por respeito a eles, num ímpeto de solidariedade para com as famílias provadas e com todo o povo congolês, a CENCO considera sábio suspender a sua participação do diálogo nacional em sinal de luto e para buscar um consenso alargado”. Os Bispos condenam com força a violência “de qualquer parte provenha” e recordam a todos os congoleses “que não são inimigos, mas irmãos, compatriotas de um Estado que devem construir juntos e não destruir”.
A CENCO condiciona a retomada de sua participação no diálogo nacional à assinatura de um acordo político preliminar que inclua os seguintes pontos: “deverá ser claramente estabelecido e estipulado que o atual Presidente da República não será candidato nas próximas eleições presidenciais a serem organizadas o mais rápido possível”; “as datas das eleições deverão ser estabelecidas pelo acordo”.
Por causa das violências, o diálogo nacional foi suspenso por 48 horas. Hoje, 21 de setembro, Kinshasa vive uma calma precária. Um balanço provisório dos dois dias de confrontos é de pelo menos 20 mortos, entre policiais e manifestantes. Vários edifícios foram saqueados. (L.M.) (Agência Fides 21/9/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network