ÁSIA/ÍNDIA - Délhi nas garras da dengue, o governo pede ajuda às religiões

Sexta, 16 Setembro 2016 saúde   doenças   igrejas locais  

Msf

Nova Délhi (Agência Fides) - Alarme dengue na capital indiana. A febre viral transmitida por mosquitos infectados atingiu a cidade e as autoridades de saúde temem uma epidemia que poderá revelar-se catastrófica, numa cidade com 21 milhões de habitantes. Enquanto as autoridades locais e federais se eximem das responsabilidades, a angústia se manifesta nas pessoas comuns. Pelo menos 1.158 casos de dengue foram notificados oficialmente em setembro, 390 dos quais registrados nos primeiros 10 dias do mês. Outros 1.440 pacientes sofrem de Chikungunya, outra doença viral semelhante, também transmitida por mosquitos, num total de mais de 2.500 casos. A infecção marca um aumento de mais de 50% dos casos em relação à contagem de uma semana atrás. Em agosto, os casos foram 652 ao todo.
Num apelo público, o governo de Délhi procurou o apoio das instituições religiosas da cidade para difundir amplamente - através dos grandes templos hinduístas, budistas, cristãos e sikhs - a campanha para controlar a propagação das duas doenças.
"Dois dos meus colaboradores estão sofrendo de chikungunya. A campanha lançada pelo governo federal, por enquanto não parece funcionar", refere a Fides Pe. Mathew Suresh, OFM Cap, Diretor da revista "Indian Currents". "Há falta de higiene fora dos hospitais públicos e também dentro. Enquanto isso, existe o jogo de dar a culpa entre o governo do Estado de Délhi, as autoridades municipais e o governo federal, sobre as responsabilidades para o recolhimento do lixo", continua Pe. Mathew. "Na base, deve-se dizer que entre as pessoas falta a mentalidade sobre higiene e limpeza dos espaços públicos", conclui.
A situação é alarmante porque "agora parece que com cada pessoa com a qual se fala tem um parente ou um conhecido doente com dengue", observa José Kavi, diretor de "Matters India", portal web de informação religiosa com sede em Délhi. Kavi observa o conflito institucional que está atrasando as medidas que são urgentes: o conflito entre o governador de Délhi, Najeeb Jung, chefe do Território Nacional da Capital, e o partido no poder na cidade, Aam Aadmi party, liderado por Arvind Kejriwal. "Com esta discussão, a máquina administrativa pública está bloqueada", relata Kavi, com graves repercussões sobre a gestão da emergência de saúde.
Também no ano passado, a cidade estava em alerta por causa do valor total incrível de 15.867 casos de dengue - o pior em 20 anos - com 60 mortos. Em 2015, em agosto e setembro se registraram respectivamente 778 e 6.775 casos, enquanto em outubro houve 7.283 casos. Em 1996, uma epidemia de dengue eclodiu em Délhi, registrando cerca de 10.252 casos e 423 mortes. (PA-SD) (Agência Fides 16/9/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network