ÁSIA/IRAQUE - Uma iniciativa feita nos EUA para a criação de uma área protegida reservada para as minorias religiosas na Planície de Nínive

Sábado, 10 Setembro 2016 geopolítica   áreas de crise   sectarismos  

Indefenseofchristians.org

Mosul (Agência Fides) - O futuro político e administrativo de Mosul e da província norte-iraquiana de Nínive continua sendo o centro de manobras, iniciativas e projetos de diferentes origens, muitas vezes divergentes ou até mesmo antitéticos entre eles, que às vezes são concebidos fora do Iraque. Em Washington, na Convenção Nacional promovida nos últimos dias (7-9 de setembro) pela organização sem fins lucrativos Usa In Defense of Christians (IDC), dedicada ao tema "Além do Genocídio. Preservar a cristandade no Oriente Médio" (“Beyond Genocide: Preserving Christianity in Middle East”) tomou forma a ideia de pressionar o Congresso dos EUA para que apoie a criação de uma "área protegida" para as minorias religiosas na Planície de Nínive, com o consentimento das autoridades locais e em colaboração com o governo central de Bagdá e com os líderes políticos da Região autônoma do Curdistão iraquiano. Os congressistas estadunidenses presentes na convenção - organizada em colaboração com as siglas Philos Project, Armenian National Committee of America e Institute of Global Engagement - já manifestaram o seu apoio à iniciativa. E isso enquanto a American University of Kurdistan, com sede em Dohuk, difunde uma pesquisa segundo a qual 90 por cento dos cristãos residentes em Ankawa - subúrbio de Irbil - seriam favoráveis à independência da Região autônoma do Curdistão iraquiano.
Enquanto isso, o governador da província de Nínive, Athil al Nujafi - também obrigado a fugir quando a região foi conquistada pelas milícias jihadistas do Estado Islâmico (Daesh) - revelou às agências de notícias turcas que há um projeto para dividir esta província em seis ou oito áreas designadas a populações de identidade étnica ou religiosa diferentes, e confirmou os contrastes entre o governo central iraquiano e da Região autônoma do Curdistão iraquiano sobre a situação futura de Mosul e da Planície de Nínive.
Segundo fontes locais consultadas pela Fides, estes contrastes também estão contribuindo para atrasar as operações militares - anunciadas há tempos - para a libertação de Mossul do domínio do autoproclamado Estado Islâmico. (GV) (Agência Fides 10/9/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network