VATICANO - O Papa aos Bispos do Seminário da Cep: “Cuidem do povo de Deus, cuidem dos presbíteros, cuidem dos seminaristas. Este é o trabalho de vocês”

Sábado, 10 Setembro 2016 bispos   animação missionária   pontifícias obras missionárias   santa sé  

OR

O Papa com os Bispos do Seminário da Congregação para a Evangelização dos Povos (Cep)

Cidade do Vaticano (Agência Fides) - “Os lugares dos quais provêm são diferentes e distantes entre si, e pertencem à grande constelação dos chamados 'territórios de missão'. Portanto, cada um de vocês tem o grande privilégio e, ao mesmo tempo, a responsabilidade de estar na linha de frente na evangelização”. Foi o que recordou o Santo Padre Francisco, recebendo em audiência na sexta-feira (09/09) os Bispos de recente nomeação, nos territórios dependentes da Congregação para a Evangelização dos Povos, que estão participando em Roma de um Seminário de estudos (veja Fides 2/10/2016).
“À imagem do Bom Pastor – prosseguiu Papa -, são convidados a cuidar do rebanho e a ir em busca das ovelhas, especialmente daquelas distantes ou perdidas; a buscar também novas modalidades para o anúncio, para ir ao encontro das pessoas; a ajudar quem recebeu o dom do Batismo a crescer na fé, para que os fiéis, inclusive aqueles ‘mornos’ ou não praticantes, descubram novamente a alegria da fé e uma fecundidade evangelizadora”.
No início do discurso, o Papa agradeceu ao Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, “por suas palavras e por todo o trabalho que leva avante com os colabores do Dicastério”, e recordou que neste Ano Santo da Misericórdia, os Bispos se uniram a tantos peregrinos de todas as partes do mundo: “Esta experiência nos faz tão bem, nos faz sentir que todos somos peregrinos da misericórdia, todos necessitamos da graça de Cristo para ser misericordiosos como o Pai”.
Depois de recordar que na obra missionária os Bispos podem contar com vários colaboradores, entre os quais muitos fiéis leigos, o Papa os convidou em especial “a prestar atenção na preparação dos presbíteros nos anos de Seminário, sem deixar de acompanhá-los na formação permanente depois da ordenação... Não se esqueçam que o próximo mais próximo do Bispo é o presbítero. Todo presbítero deve sentir a proximidade do seu Bispo”.
Na parte conclusiva do seu discurso, o Papa Francisco dirigiu um convite especial a vigiar atentamente “para que as atividades evangelizadoras e pastorais não sejam prejudicadas por divisões existentes ou que possam ser criadas. As divisões são a arma mais próxima do diabo para destruir a Igreja de dentro. Ele tem duas armas, mas a mais perigosa é a divisão. A outra é o dinheiro... De modo especial, as diferenças em decorrência das várias etnias presentes num mesmo território para que não penetrem nas comunidades cristãs a ponto de prevalecer sobre o seu bem... A Igreja é chamada a saber colocar-se sempre acima das conotações tribais-culturais e o bispo, visível princípio de unidade, tem a tarefa de edificar incessantemente a Igreja particular na comunhão de todos os seus membros”.
O Papa concluiu: “Estou certo de que o que puderam compartilhar nesses dias ajudará cada um a levar avante com entusiasmo o próprio ministério. Cuidem do povo de Deus que lhes foi confiado, cuidem dos presbíteros, cuidem dos seminaristas. Este é o trabalho de vocês. Maria nossa Mãe os proteja e os ampare”. (SL) (Agência Fides 10/9/2016)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network