ÁFRICA/EGITO - Expatriados para a Suíça os estudantes coptas condenados por terem ridicularizado a barbárie jihadista

Sexta, 9 Setembro 2016 igrejas orientais   blasfêmia  

Morning Star News

Minya (Agência Fides) – Foram expatriados para a Suíça, onde apresentarão pedido de asilo, os quatro estudantes condenados em fevereiro passado a cinco anos de prisão com a acusação de insultar a religião islâmica, por terem divulgado na primavera de 2015 um vídeo de poucos segundos, realizado com o celular, em que faziam uma paródia da cena em que degolam um fiel muçulmano em atitude de oração, para imitar as terríveis execuções realizadas pelos jihadistas do Estado Islâmico (Daesh).
O Ministério da Justiça egípcio tinha prometido rever o caso judiciário (veja Fides 8/3/2016), mas depois não houve uma evolução positiva. Antes que a sentença se tornasse executiva, os jovens deixaram o Egito em abril, transferindo-se na Turquia, onde viveram escondidos por cinco meses. No início de setembro – segundo uma declaração feita por um deles ao site Morning Star News – os jovens, com a ajuda de organizações empenhadas na defesa dos direitos humanos, obtiveram um visto humanitário especial e conseguiram entrar na Suíça.
“Somos gratos às autoridades suíças e aos nossos parceiros que os ajudaram a chegar até a Suíça”, declarou Daniel Hoffman, Diretor-executivo de Middle East Concern, uma das agências envolvidas na operação de expatriação dos quatro jovens. De acordo com Hoffman, a Suíça foi “o primeiro e único país” a responder positivamente ao pedido – apresentado também a outras nações – de acolher os jovens para evitar que descontassem a pena nas prisões egípcias por zombar da barbárie jihadista. (GV) (Agência Fides 9/9/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network