AMÉRICA/HAITI - Assassinada missionária espanhola que assistia os pobres haitianos

Sábado, 3 Setembro 2016 institutos missionários   violência   pobreza  

jesus-maria.org

Port au Prince (Agência Fides) – “Com grande tristeza e dor, ainda sob choque, compartilhamos a notícia que acabamos de receber da Província dos Estados Unidos. Hoje, assassinaram a Ir. Isa Solá, no Haiti, durante um assalto, nas proximidades da Catedral de Port au Prince. Por favor, rezem por Isa, por sua família, pelas nossas irmãs do Haiti, Estados Unidos e Espanha. Deus os abençoe”. Assim escreve Ir. Monica Joseph, Superiora-Geral das Religiosas de Jesus-Maria (RJM), anunciando a notícia da morte da Ir. Isa Solá Matas, 51 anos, originária de Barcelona (Espanha), missionária no Haiti há muitos anos.
Segundo as informações apuradas por Fides, o assassinato ocorreu na manhã de ontem (hora local), 2 de setembro, enquanto a religiosa estava dirigindo seu carro numa avenida central da capital. Ela foi baleada com dois tiros durante uma provável tentativa de furto, de acordo com a polícia local, porque foram roubados a sua bolsa e outros objetos pessoais. A religiosa trabalhava com as camadas mais humildes e pobres do Haiti, com as quais praticamente convivia depois do terremoto de 2010: ajudou a reconstruir casas, trabalhou como enfermeira e para aliviar os sofrimentos dos que sofreram amputações no terremoto.
Haiti é o país mais pobre do hemisfério ocidental, marcado pela falta de instrução, pobreza e criminalidade comum. Foi por muito tempo paralisado por uma crise política e institucional.
Em 24 de abril de 2013 foi assassinado em Port au Prince padre Richard E. Joyal, canadense, da Sociedade de Maria, num assalto para roubar o dinheiro que tinha acabado de sacar do banco (veja Agência Fides 26/04/2013) e em 8 de outubro de 2010 Julien Kénord, agente da Caritas suíça, que foi assassinado sempre em Port-au-Prince, depois de uma tentativa de assalto. (SL) (Agência Fides 3/9/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network