ÁSIA/IRAQUE - Um Sínodo da Igreja Caldeia sobre o êxodo dos cristãos, mártires para beatificar, e as comunidades da diáspora

Sexta, 2 Setembro 2016 igrejas orientais  

Facebook

Irbil (Agência Fides) - A beatificação dos mártires caldeus, os trabalhos pastorais e caritativos em favor dos deslocados, o fenômeno da imigração dos cristãos e a escolha do novo bispo caldeu para a Diocese de São Pedro Apóstolo, em San Diego (EUA): estes são alguns dos temas colocados na ordem do dia no próximo, iminente Sínodo da Igreja Caldéia que se realizará em Irbil, capital da região autônoma do Curdistão iraquiano, de 21 a 28 de setembro. O Patriarcado caldeu emitiu um comunicado convidando os fiéis caldeus espalhados pelo mundo a rezar a fim de que o Senhor "ilumine os padres sinodais" e os ajude a realizar um trabalho frutífero.
"As beatificações das quais começamos a falar", refere à Agência Fides o Patriarca caldeu Louis Rapael I, "são as dos mártires do 'Genocídio assírio caldeu' que ocorreu há um século nos territórios da atual Turquia, dentre os quais incluem também três bispos. Mas temos de considerar também os mártires mais recentes, como o bispo e o Pe. Ragheed Aziz Ganni, Irmã Cecília Moshi Hanna e o Arcebispo Paulos Faraj Rahho (na foto) que guiava a Arquieparquia de Mossul. Mas também falaremos de outras questões, tais como a renovação litúrgica e o futuro da Planície de Nínive".
Em 25 de setembro, sempre em Irbil, se abrirá também uma conferência importante da Liga Caldeia, organização fortemente apoiada pelo Patriarca caldeu Louis Raphael I, fundada em julho de 2015 como instrumento para proteger “os direitos sociais, políticos e culturais” da comunidade caldeia, sem que a reivindicação desses direitos se torne uma exclusividade das siglas partidárias geridas por ativistas cristãos. As alterações feitas nos esboços dos estatutos da Liga Caldeia, antes de sua abertura oficial, acentuavam os elementos de sua identidade e "nacionalistas". No comunicado divulgado pelo Patriarcado caldeu, e enviado à Agência Fides, se reitera que a Liga Caldeia "é um organismo autônomo, não afiliado a nenhum partido político e a nenhum grupo financeiro". (GV) (Agência Fides 2/9/2016).



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network