ÁSIA/TURQUIA - A imprensa turca acusa o Patriarca Bartolomeu de cumplicidade com o golpe falido

Quinta, 1 Setembro 2016 política internacional  

Twitter

Ankara (Agência Fides) - Pela primeira vez, um meio de comunicação turco acusou explicitamente o Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, de ser cúmplice do golpe de Estado falido de 15 de julho passado, arquitetado, segundo Ankara, pelo pregador islâmico Fethullah Gulen - atualmente em exílio nos EUA - e seu movimento Hizmet. Na terça-feira, 30 de agosto, o jornal Aksam publicou na primeira página um artigo sobre as supostas conivências da CIA e do Patriarcado Ecumênico com o golpe "gulenista". Aksam conecta a tentativa de golpe de Estado com a aproximação entre a Rússia de Putin e a Turquia de Erdogan, após os confrontos recentes, e cita como prova da suposta ligação entre Bartolomeu e Gulen um artigo atribuído a Arthur Hughes, ex-embaixador dos EUA, no Iêmen, publicado em meados de agosto no site www.orientalreview.org, que continha considerações sobre o suposto interesse do Patriarcado Ecumênico por uma reversão da máquina do poder liderada por Erdogan.
O mesmo Hughes – segundo a Agência Fides – desmentiu ser o autor do artigo, que então aparece como falso, obtendo a remoção imediata da internet, e agora desmentiu também o artigo publicado por Aksam. O artigo do jornal turco também é ilustrado com fotos que mostram juntos Gulen e o Patriarca Bartolomeu, que remontam aos anos noventa do século passado. Em 1998, antes de se mudar para os EUA, Gulen encontrou, no Vaticano, João Paulo II. (GV) (Agência Fides 1/9/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network