ÁSIA/TURQUIA - A Grécia pede a Ankare que se desculpe pelo "Genocídio greco-pôntico"

Quarta, 31 Agosto 2016 política internacional  

wikipedia

Atenas (Agência Fides) - O povo grego "continuará a sua batalha a fim de que a Turquia reconheça o genocídio pôntico e apresente um sincero pedido de desculpas pelos crimes cometidos por seus antepassados." Foi o que disse nos dias passados o Presidente da República Helénica, Prokopis Paulopoulos, em algumas declarações divulgadas também na Turquia pelo jornal bilíngue turco-armênio Agos. Ao pedido de desculpas pelo chamado "Genocídio pôntico", o presidente acrescentou o protesto grego contra o Governo turco porque Ancara não autoriza os cristãos de rezarem no Mosteiro de Sumela (veja imagem), construído num penhasco no vale de Altindere a 1.200 metros de altitude, na região de Macka, na província de Trabzon, agora parcialmente restaurado pelas autoridades locais.
O termo "Genocídio pôntico" indica a erradicação dos gregos de terras sob o domínio turco, que teve lugar durante o mesmo período do Genocídio armênio. Os gregos do Ponto eram a população grega originária da região do Ponto que se estendia do nordeste até a Ásia Menor, incluindo as atuais províncias turcas de Samsun, Amasya, Tokat, Ordu, Giresum, Gumushane, Trabzon, Rize e Artvin, na costa do Mar Negro. (GV) (Agência Fides 31/8/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network