ÁFRICA/GUINÉ - Aumentam os guineanos que tentam entrar nos EUA pelo México

Quarta, 31 Agosto 2016 migrantes  

Muro de Nogales, fronteira entre Arizona e México

Conakry (Agência Fides) – As autoridades fronteiriças dos Estados Unidos registraram nos últimos meses um aumento de imigrantes da República da Guiné que tentam entrar pela fronteira terrestre com o México. O fenômeno é ligado à presença de comunidades guineanas já radicadas há tempos nos Estados Unidos e, informando-se junto a estas comunidades, o Embaixador da Guiné em Washington, Mamady Condé, conseguiu obter informações sobre o modo em que estes migrantes chegam à fronteira entre México e EUA.
Os africanos, em maioria guineanos, mas também oriundos de outros países da África ocidental, viajam em avião até o Brasil. De lá, empreendem a viagem passando até por 11 países latino-americanos, para chegar ao México e tentar entrar nos EUA.
“No México, há guineanos solicitantes de asilo detidos”, declarou Mamady Condé. “O mesmo acontece em prisões estadunidenses aonde muitos nossos compatriotas estão presos por tráfico de drogas, fraudes com cartões de crédito, brigas e até detenção ilegal de armas”. Segundo o Embaixador, 2141 guineanos tiveram problemas com a justiça estadunidense. 400 foram expulsos, 600 dos quais recidivos e considerados perigosos por terem utilizado armas de fogo.
O Embaixador guineano sugeriu às autoridades estadunidenses a concessão de vistos de permanência de longa duração, para evitar a imigração clandestina. “Com um visto de 10 anos, é muito provável que uma pessoa viaje entre EUA e Guiné e não se estabeleça de modo definitivo em território estadunidense”, concluiu. (L.M.) (Agência Fides 31/8/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network