AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - As duas religiosas mortas eram mulheres de fé, a serviço dos pobres

Segunda, 29 Agosto 2016 institutos missionários   pobreza   violência  

scnfamily

Durant (Agência Fides) – Duas religiosas, irmã Margaret Held, das Irmãs da Caridade de Nazaré (SCN), e irmã Paula Merrill, das Irmãs Escolásticas de São Francisco (SSSF), foram mortas a facadas em sua casa em Durant, no Mississippi, em uma área na qual 40% da população vive abaixo da linha da pobreza. Investigações iniciais apontam que as duas foram mortas por um ladrão que teria fugido com o seu carro, abandonando-o em seguida, nas proximidades. A polícia já prendeu uma pessoa. As duas religiosas, estadunidenses de 68 anos, eram enfermeiras na Lexington Medical Clinic, posto de saúde que assiste gratuitamente famílias sem condições econômicas. No dia 25 de agosto, por não as ver chegar, pontuais como sempre, os colegas advertiram a polícia, que encontrou em sua casa os corpos e marcas de arrombamento. As duas irmãs eram amadas e queridas por todos por sua cordialidade, disponibilidade e atenção especial, principalmente com os mais necessitados.
Irmã Susan Gatz, presidente das SCN, pediu que se “reze em sinal de gratidão pelas vidas preciosas de irmã Paula e irmã Margareth... que serviram tão bem os pobres. Já que somos mulheres do Evangelho, rezemos também pelos autores do crime”. Um comunicado conjunto das duas congregações religiosas pede “que se vá adiante juntos neste momento, de modo orante, concentrados na vida das irmãs Paula Merrill e Margaret Held, duas mulheres de compaixão e de fé. Queremos reiterar nossas convicções, como mulheres de fé. Apreciamos a vida. Durante anos, as Irmãs da Caridade de Nazaré e as Irmãs Escolásticas de São Francisco trabalharam pela abolição da pena de morte, sempre buscando a justiça e a verdade”.
Várias celebrações em sufrágio às duas religiosas se realizaram em diferentes localidades neste fim de semana. (SL) (Agência Fides 29/8/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network