ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - "Basta com os homicídios étnicos ou corremos o risco de acabar como a Somália"

Sábado, 6 Agosto 2016 grupos armados  

https://radiotamazuj.org/en/article/yei-bishop-warns-against-ethnic-killings

Elias Taban

Juba (Agência Fides) - "Se não queremos acabar como a Somália, devemos parar de cometer homicídios tribais e devemos, ao invés, aprender a viver juntos como irmãos e irmãs", disse o bispo Elias Taban da Igreja Evangélica Presbiteriana de Yei, advertindo o povo do Sudão do Sul contra o ódio e assassinatos étnicos em todo o país.
O líder evangélico denunciou as mortes por motivos étnicos de pessoas nas ruas do país. "A matança seletiva em nossas estradas é o nosso principal problema e temos de reconhecê-la sem vergonha e medo, e nós devemos parar com isso se queremos paz no país", disse Elias.
O bispo evangélico sublinhou que o slogan popular do Sudão do Sul "One Persone One Nation" não sem signficado se os cidadãos se matam reciprocamente com base em sua etnia.
Elias aconselhou os sul-sudaneses a aceitarem a diversidade étnica em prol da paz e do desenvolvimento do país. "Você deve ter orgulho de sua tribo", disse ele. "Eu sou da tribo Kaliko e tenho orgulho disso. Então, se você é um Dinka, Nuer, Kakwa, Pajulu, deve ter orgulho de sê-lo", concluiu.
Entretanto, a situação no país continua precária depois dos atritos entre as forças do Presidente Salva e as fiéis ao Primeiro Vice-Presidente Riek Machar. O governo de Juba aceitou, em “linhas gerais” o deslocamento de uma força regional de apoio aos 12.000 Capacetes Azuis já presentes, para contribuir na atuação do acordo de paz de agosto de 2005 e na proteção e assistência humanitária de civis. (L.M.) (Agência Fides 6/8/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network