AMÉRICA/EL SALVADOR - Uma “justiça de transição” para uma verdadeira recuperação do tecido social que sangra há anos

Terça, 26 Julho 2016 direitos humanos   democracia   grupos armados  

El Salvador

San Salvador (Agência Fides) – Continua o debate em El Salvador sobre a anulação da lei da anistia por parte da Corte Suprema de Justiça. Em 22 de julho, através de um comunicado, a Conferência Episcopal pediu uma "justiça restaurativa" a favor das vítimas do conflito armado. Embora a declaração não peça a prisão para nenhum dos culpados, todavia propõe que as vítimas "sejam ouvidas, sejam respeitadas em seus direitos e em sua dignidade e que recebem um pedido de perdão". Neste contexto, o Episcopado pede às autoridades legislativas que criem um procedimento jurídico para reforçar “uma justiça de transição”, que torne possível uma “verdadeira recuperação do tecido social que sangra há tantos anos”.
A nota enviada a Fides destaca também o comentário do Arcebispo da capital, Dom José Luis Escobar Alas: a anistia promovida pelo presidente Alfredo Cristiani (1989-1994) não permitiu realizar plenamente os Acordos de Paz que acabaram com 12 anos de guerra.
Enquanto isso, o Presidente Salvador Sanchez Ceren anunciou o início dos colóquios com os partidos políticos representados na legislatura para aprovar uma nova lei sobre reconciliação nacional, que se insira no momento que vive El Salvador e "permita às famílias conhecer a verdade, mas ao mesmo tempo seja também dado a elas a possibilidade de perdoar", disse à imprensa.
(CE) (Agência Fides, 26/07/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network