ÁFRICA/ANGOLA - Mensagem final: “Na proclamação do Evangelho da família devemos ser testemunhas da esperança”

Terça, 26 Julho 2016 família   conferências episcopais  

amira_a

Luanda (Agência Fides) – “Uma mensagem de esperança e solidariedade sobre o futuro das nossas famílias e comunidades, à Igreja-Família de Deus na África e Madagascar, e a todos os homens e mulheres de boa vontade” foi redigida pelos participantes da 17ª Assembleia Plenária da SECAM/SCEAM (veja Fides 20 e 23/7/2016). No final dos trabalhos, que tiveram o tema “A Família na África ontem, hoje e amanhã, à luz do Evangelho”, a mensagem final, recebida pela Agência Fides, reafirma “a importância da família, que constitui verdadeiramente a Igreja doméstica e o fundamento sobre o qual se edifica qualquer sociedade”.
Dentre os desafios pastorais que a família enfrenta hoje na África, sobre os quais os trabalhos se concentraram, o texto menciona: as condições precárias e a pobreza, a exclusão social, o impacto das novas tecnologias de informação, a ideologia de gênero, a família mononuclear, os casais divorciados e recasados, a contracepção, a esterilização, o aborto, a poligamia, os dotes, os ritos da viuvez, as migrações devidas a guerras e conflitos, as crises internas das famílias, a feitiçaria, a ausência de um dos membros do casal por questões de estudo ou de trabalho.
“Estes diferentes desafios desestabilizam os casais e as famílias, principalmente quando não há uma forte estratégia pastoral em ato – prossegue o texto. Como pastores, afirmamos o nosso empenho em renovarmos e reforçarmos a nossa pastoral em favor das famílias. É nossa convicção e fé que a família não pode ser sufocada pelas crises e as situações que atravessa. No anúncio do Evangelho da família, somos chamados a ser testemunhas da esperança”.
Os participantes da Assembleia reafirmam “a beleza do matrimônio”, que não é um peso, mas uma comunidade de amor, de alegria e valorização dos casais e da família” e se parabenizam com aqueles que são fieis no matrimônio, compartilhando o sofrimento de quem vive situações difíceis, exortando-os a não desanimarem e assegurando-lhes a sua oração.
No parágrafo intitulado “a família, santuário de vida”, a mensagem convida todas as famílias africanas “a serem um lugar de profundo desenvolvimento humano e espiritual, de modo a se tornar comunidades de vida, oração e amor, e agentes de transformação para as nossas sociedades”. As associações cristãs e as organizações pastorais familiares são chamadas “a se esforçarem ainda mais para acompanhar os casais antes, durante e depois da celebração do matrimônio”.
“De igual modo, saudamos os esforços dos Estados membros da União Africana pelo interesse pelos problemas da família. Exortamo-los a resistir perante todas as pressões dos governos e organizações que querem impor ao continente africano políticas anti-família. Felicitamos os governos que, em nome dos valores morais e da nossa cultura, têm a coragem de opor-se a estas políticas … Convidamo-los a promover políticas que respeitem os valores culturais africanos da justiça, dos direitos fundamentais da pessoa e das famílias, incluindo o respeito pelo bem comum e a melhoria das condições de vida das populações mais desfavorecidas”.
A Mensagem, assinada pelo Presidente do SECAM, Dom Gabriel Mbilingi, Arcebispo de Lubango, se conclui reafirmando que “o futuro da família está no coração de nossa missão. A família é um dom do amor misericordioso de Deus, garante o futuro de nossas sociedades”, deve ser protegida e defendida. O apelo final é: “Famílias cristãs africanas, não tenham medo de colocar Cristo no centro de suas vidas! Longa via à família!”. (SL) (Agência Fides 26/07/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network