ÁSIA/LÍBANO - Cerca de 250 mil crianças sírias refugiadas no Líbano não são escolarizadas

Sábado, 23 Julho 2016 instrução  

European Commission DG ECHO

Beirute (Agência Fides) – Mais da metade das cerca de 500 mil crianças de idade escolar cadastradas no Líbano não frequentam aulas por terem poucos recursos e devido às políticas do Governo libanês. A denúncia provém de Human Rights Watch (HRW) que, em estudo recente, assinalou também os passos positivos do país para consentir o acesso dos refugiados sírios ao ensino público e gratuito. Na nota recebida pela Fides, a ONG evidencia a importância da instrução, crucial para que as crianças possam ter um instrumento para enfrentar e superar o trauma da guerra e do deslocamento, além de ter um papel positivo na futura reconstrução da Síria.
O Líbano está oferecendo uma série de aulas vespertinas em 238 escolas para atender um maior número de alunos no ano letivo 2015-2016. Também foram aumentadas as vagas para refugiados sírios nas escolas do Líbano, mesmo se muitas ficaram vazias por causa de problemas econômicos. Com efeito, 70% das famílias sírias não pode enfrentar despesas para a compra de material e manutenção escolar. Além do fator econômico, outros motivos que prejudicam a alfabetização são os abusos e moléstias a que são submetidas as crianças, o uso de línguas que os pequenos sírios não falam ou normas de inscrição específicas. As crianças do ensino médio encontram impedimentos ainda maiores, como a dificuldade de obter visto de residência legal depois de 15 anos. Somente 3% delas conseguiram se matricular na escola no ano passado. Atualmente, no Líbano há 1,1 milhão de refugiados sírios cadastrados oficialmente, metade dos quais é menor de idade. As autoridades fazem uma estima mais alta. (AP) (23/7/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network