ÁSIA/ISRAEL - Associação cristã critica a nova lei sobre as ONGs

Sábado, 16 Julho 2016 direitos humanos  

Christian Aid

Jerusalém (Agência Fides) – No último dia 11 de julho, o parlamento israelense aprovou a lei que vincula as organizações não-governamentais (ONG) que recebem mais de 50% de seu financiamento de instituições e governos estrangeiros a declarar publicamente todas em todas as suas intervenções e iniciativas – em espaços públicos, na imprensa e na Internet – a própria dependência de verbas provenientes do exterior. A respeito desta lei, considerações críticas foram difundidas por William Bell, conselheiro da organização Christian Aid para as iniciativas realizadas em Israel e nos territórios palestinos ocupados. “Esta lei”, disse, dentre outras coisas Bell, “representa uma clara tentativa de limitar ou calar vozes que se expressam contra injustiças. A maior parte das organizações em que a lei será aplicada atuam no campo dos direitos humanos, e dentre estas, estão também parceiros israelenses de Christian Aid, de B'Tselem e Breaking te Silence”.
Christian Aid – reiterou, todavia, o conselheiro Bell – “se orgulha em defender organizações da sociedade civil israelense que defendem os direitos humanos e se opõem às discriminações, e continuaremos a fazê-lo”.
Christian Aid é uma agência que promove projetos sociais e de desenvolvimento de mais de 40 Igrejas e comunidades cristãs presentes na Grã-Bretanha e na Irlanda. (GV) (Agência Fides 16/7/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network