EUROPA/ITÁLIA - “Grande participação na vigília por Emmanuel”, conta a Fides o Vigário de Fermo

Quinta, 7 Julho 2016 violência  

Gianni Dominici

Fermo (Agência Fides) – “Até hoje, em Fermo, nunca tinham sido registrados casos de violência racista, a cidade saberá mostrar o bem, que é muito maior”. Este é o comentário feito à Agência Fides por Pe. Pietro Orazi, Vigário da diocese de Fermo, sobre a morte de um nigeriano requerente de asilo, Emmanuel, assassinado por um cidadão local. O assassinato ocorreu quando o jovem, que é cristão, defendeu a esposa de insultos racistas. O casal fugiu da Nigéria depois de perder quase todos os familiares num atentado de Boko Haram. “Aqui em Fermo - continua Pe. Pietro –, os estrangeiros são muitos, e todos bem integrados. Com frequência, os requerentes de asilo são chamados a contar suas histórias nas escolas e nas reuniões das associações católicas.”
“Ontem à noite – acrescentou o Vigário -, na vigília de oração por Emmanuel houve grande participação por parte das autoridades políticas, civis e religiosas. Também participaram associações católicas e laicas, grupos juvenis vindos de outras cidades que, no passado, participaram de encontros em que o jovem casal nigeriano contou a sua experiência”.
Nas dependências do Seminário episcopal de Fermo vivem 124 pessoas, sobretudo de origem subsaariana, provenientes de Nigéria, Mali e Gâmbia. O empenho da diocese pelos requerentes de asilo não se limita à hospitalidade no Seminário. Através da Fundação Sagrini, ligada à diocese, são assistidas mulheres grávidas e com filhos”.
(AP) (7/7/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network