ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - "O diálogo é o único caminho para a paz: deter os discursos instigadores" diz o Bispo de Tombura-Yambio

Segunda, 4 Julho 2016 violência   bispos  

Abuja (Agência Fides) - "A linguagem está causando muito mais violência, em alguns casos danos maiores que as armas", disse Dom Edward Hiiboro Kussala, Bispo de Tombura-Yambio, no Sul do Sudão, falando numa transmissão da Rádio Miraya, uma emissora do Sudão do Sul patrocinada pela ONU. O Sudão do Sul acaba de iniciar um percurso difícil de pacificação e reconciliação nacional, após cerca de três anos de guerra civil, e o bispo fez um apelo aos líderes políticos para que evitem uma linguagem instigadora" e que divide, e desenvolvam um discurso que possa construir o país".
Dom Hiiboro se refere à crise de Wau, situada a 650 km ao noroeste de Juba, onde os confrontos eclodiram no final de junho, causando a morte de pelos menos cinquenta pessoas (veja Fides 30/6/2016). Segundo o Bispo, na raiz da crise de Wau está a falta de diálogo, porque "quando falta diálogo as pessoas recorrem imediatamente à violência e confronto".
"O Sudão do Sul - sublinha Dom Hiiboro - deve aprender a dialogar. Foi o diálogo que levou à fundação do Sudão do Sul. Não é sinal de covardia falar com seu irmão e irmã e dizer que estávamos errados. Tentamos encontrar uma saída".
Infelizmente, acrescenta o bispo, no país as pessoas vivem na desconfiança recíproca profunda, e se tem medo de falar uns com os outros. Dom Hiiboro salienta que embora a Igreja, a sociedade civil, as ONGs façam a sua parte para iniciar o diálogo nacional, as autoridades têm o dever de restabelecer a paz em todo o país. "Nós, como Igreja preparamos as pessoas para o diálogo, mas precisamos que o governo va à frente e reforce a mensagem transmitida pela Igreja a fim de preparar o caminho para uma nação estável e pacífica", concluiu. (L.M.) (Agência Fides 4/7/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network