AMÉRICA/PARAGUAI - “Viver sem violência e sem abusos”: apelo do Vigário apostólico de Chaco Paraguayo

Segunda, 4 Julho 2016 indígenas   violência   bispos  

Membros da comunidades dos Maskoy da Missão de Puerto Casado com Dom Escobar

Chaco (Agência Fides) – Um apelo “à não violência e à convivência sem abusos” foi lançado por Dom Gabriel Narciso Escobar Ayala, Vigário apostólico de Chaco Paraguayo.
O pedido foi feito ontem, depois de comentar durante a celebração dominical o caso de uma indígena adolescente da etnia dos Tomarahos, que poucos dias atrás foi vítima de um ataque brutal numa rua desta cidade. A violência dos agressores foi tamanha que a jovem ficou quase desfigurada, porque resistiu à violência sexual.
Segundo as informações enviadas a Fides, o Vigário apostólico aproveitou esta ocasião para denunciar mais uma vez o clima de abusos e de violência que reina na região, culpando principalmente a falta de ações por parte das autoridades locais. Em especial, a crítica foi endereçada aos representantes do Ministério Público, da Polícia de Estado e até mesmo aos médicos do hospital regional, que não teriam fornecido um relatório claro sobre o ocorrido: "Recuso-me a acreditar que esta negligência das autoridades esteja ligada ao fato de que a vítima é uma pessoa humilde e, sobretudo, indígena", destacou o Bispo. Dom Escobar Ayala pediu expressamente aos que estão na linha de frente nessas instituições que façam bem o seu dever, a fim de proteger a integridade das pessoas e, sobretudo, dos mais pobres.
Na região norte do Paraguai, segundo a nota enviada pelo Vicariato, a população vive numa situação de abandono por parte do Estado, sem serviços, aos quais se acrescentam abusos e violências por parte daqueles que deveriam fazer respeitar os direitos da população. Várias vezes, os Bispos denunciaram abertamente a grave situação, pedindo a intervenção do Estado (veja Fides 27/05/2014; 17/03/2016).
(CE) (Agência Fides, 04/07/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network