ÁSIA/CHINA - Os órfãos de Da Ming celebram o Dia dos Pais com os sacerdotes que os assistem

Quinta, 23 Junho 2016 igrejas locais   ordens religiosas   menores  

Faith

Han Dan (Agência Fides) – As crianças deficientes, abandonadas por seus pais e os órfãos acolhidos no Instituto Dom Bosco de Da Ming, na diocese de Han Dan, festejaram o “Dia dos Pais” com os sacerdotes que cuidam deles e que, portanto, são considerados como seus pais. Segundo as informações recolhidas pela Agência Fides, depois da Missa dominical de 19 de junho – na China se celebra o dia dos pais no terceiro domingo de junho – as crianças se reuniram em volta do sacerdote que celebrou a missa para festejá-lo.
Quem se ocupa da assistência espiritual das irmãs que administram o Instituto e das crianças abrigadas são os sacerdotes da comunidade do seminário diocesano do Sagrado Coração, sempre disponíveis a responder às exigências dessas crianças, a ponto de se tornarem para elas quase seus pais, afetuosos e pacientes. Os menores, portanto, quiseram festejá-los no Dia dos Pais e mandaram flores feitas com suas mães aos outros sacerdotes que não estavam presentes e que, rotativamente, se ocupam deles.
O Instituto Dom Bosco de Da Ming nasceu em 1984, quando a Ir. Wu Yong Bo, da Congregação da Mãe de Deus, então com 80 anos, acolheu uma menina com deficiência deixada diante da porta da igreja. A partir daquele momento, a freira idosa decidiu cuidar desse tipo de criança, não obstante a estrutura muito modesta. Em outubro de 1994, o Instituto Dom Bosco foi aberto oficialmente num edifício adequado às exigências.
Desde então, cerca de 300 menores com deficiências, abandonados e órfãos encontraram ali um acolhimento amoroso. Muitos deles puderam frequentar uma universidade ou foram adotados por famílias escolhidas e acompanhadas pelas freiras. Para arrecadar os fundos necessários ao funcionamento do Instituto, as irmãs também participaram da maratona anual de Pequim. Graças a elas, aos sacerdotes e à generosidade de tantos fiéis leigos, o Instituto hoje oferece também cursos profissionalizantes para deficientes adultos, de habilitação profissional para os que sofrem de paralisia cerebral, além de organizar encontros para melhorar a formação e a vida social dessas crianças. Hoje, são 61 os menores abrigados no Instituto.
(NZ) (Agência Fides 2016/06/23)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network