ÁFRICA/EGITO - Libertado o pesquisador copta preso com a acusação de “terrorismo”

Quarta, 22 Junho 2016 terrorismo  

Linkedin

Cairo (Agência Fides) – O pesquisador copta Mina Thabet, ligado a grupos de defesa de direitos humanos, foi libertado segunda-feira, 20 de junho, sob ordem de uma corte egípcia, depois de pagar uma caução de 10 mil libras egípcias (equivalentes a 1127 dólares). O jovem ativista, que pertence à equipe engajada na assistência legal à família do pesquisador italiano Giulio Regeni (cujo corpo torturado foi encontrado em 3 de fevereiro em um poço na estrada entre Cairo e Alexandria), foi sequestrado de sua casa em 19 de maio passado por policiais à paisana e acusado de ter relações com formações terroristas de matriz islâmica. Nos dias passados, a acusação apelou – mas foi rechaçada pela corte – contra a sua libertação sob caução.
Segundo colaboradores e advogados ligados ao pesquisador, a condição física de Mina Thabet estaria fortemente comprometida devido às semanas que passou no cativeiro em isolamento, na delegacia de al Salam. “O que faz realmente mal” referiu Mina Thabet em mensagem publicada no facebook pela Coordenação egípcia para direitos e liberdades (Egyptian Coordination for Rights and Freedoms, ECRF), não é o que passei, mas a acusação de integrar grupos terroristas aos quais sempre me opus”. (GV) (Agência Fides 22/6/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network